Arquivo mensal: outubro 2011

Fomos chamados para SOFRER!

 

A paz do Senhor Jesus!

Em tempos de um Evangelho superficial, com pregações que mais se parecem com palestras de auto-ajuda, quero chamar a atenção para um outro lado, o de sofrermos pelo verdadeiro Evangelho, afinal a Bíblia não promete sombra e agua fresca para ninguem enquanto estiver sob essa terra.

Na conversão do apostolo Paulo, quando o Senhor Jesus aparece a ele, o deixa cego com a sua glória e o manda para a casa de Judas em Damasco que lá ele receberia as instuções. Neste meio tempo, o Senhor manda que Ananias vá pregar à Paulo. Como Ananias conhece a fama de Saulo (antigo nome de Paulo), ele se recusa, fica com medo e tenta fazer com que Deus mude de ideia, mas a resposta de Jesus é a segunte:

E eu lhe mostrarei quanto deve sofrer pelo meu nome. (Atos 9:16)

Paulo, que depois de Cristo foi o maior evangelista que se conhece, um homem que escreveu metade do Novo Testamento, nos deixou cartas maravilhosas que tem instruções de extrema valia para todos os cristãos, desde novos convertidos à pastores, não foi exatamente um comandante dos cristãos, que ficava sentado atrás de uma mesa de mogno, em uma luxuosa cadeira escrevendo instruções e gerando “suditos”, como esses pastores que dizem que devemos ter a vida mansa fazem.

O Senhor Jesus nos deixou alertas que no mundo teriamos aflições, mas era para termos bom ânimo, pois ele venceu o mundo (João 16:33). O próprio Jesus não quis e não teve moleza nos trinta e três anos que passou nesta terra. Ao contrário dos pastores que querem ser servidos, que inventam para sí títulos (apostolo, patriarca, doutor em divindades e etc.) deixou bem claro que não veio para ser servido, mas para servir (Mateus 20:28)

O Senhor Jesus deixou uma imposição que devemos cumprir para segui-lo. Quem quiser servir ao Senhor deve tomar a sua cruz (Lucas 9 :23, Mateus 16:24 e Marcos 8:34). Tomar a cruz me remete ao sofrimento de Jesus no Calvário. Sofremos ao falar de Jesus para as pessoas na rua, muitas nos ignoram, algumas nos xingam, outras são indiferentes e pela nossa natureza, a vontade que nos dá é de desistirmos de esperarmos que as pessoas cheguem por conta própria em nossas igrejas, nas não cumpririamos o ide que Jesus ordenou e consequentemente não fariamos a vontade de Deus.

O apostolo Paulo entendeu muito bem o que é sofrer por conta do Evangelho, em uma de suas cartas ele escreve o que teve de passar por amor à Palavra do Senhor e nos deixa um exeplo maravilhoso de alguém que tinha sede em servir ao Deus que o chamou.

Três vezes fui açoitado com varas, uma vez fui apedrejado, três vezes sofri naufrágio, uma noite e um dia passei no abismo (2 Coríntios 11:25)

Paulo foi açoitado três vezes, foi apedrejado uma vez em Listra – onde teve que se fingir de morto para escapar, naufragou por três vezes, passou um dia no abismo e foi preso por inumeras vezes. Se existe alguem que pode dizer com propriedade o que é sofrer pelo nome do Senhor, é o apostolo Paulo, que chegou ao ponto de dizer que viver era Cristo e morrer passou a ser um ganho (Filipenses 1:21), pois ele sabia que no fim desta vida, algo muito melhor lhe estava reservado.

No final de sua vida, escrevendo à Timóteo, seu filho na fé, Paulo escreve uma frase que me faz viajar em meus pensamentos e me faz imaginar se ao final de minha vida, terei autoridade de falar como ele, se o legado de meu ministério vai comprovar esta frase, tornando-a verdadeira em minha vida.

Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé (2 Timóteo 4:7)

Com esta frase, o apostolo Paulo deixa bem claro que não ficou devendo em nada, que tudo o que o Senhor lhe havia ordenado estava feito. E se estudarmos a Bíblia veremos que realmente ele havia cumprido os propósitos do Senhor em sua vida, mostrando que a pesar de todo o sofrimento que passamos, o Senhor está agindo em nosso favor e que não devemos desistir de nossa fé, pois cada luta irá nos ajudar a aperfeiçoar nossa caminhada com o Senhor.

Que o nosso Deus te ilumine a mente e que você tenha sido edificado através deste texto, que com o estudo sistemático e devocional da Bíblia, você possa perceber os falsos evangelhos e seguir pelo verdadeiro, sem se desviar nem para a direita e nem para a esquerda, pois mesmo com todo o sofrimento, quando estivermos na glória, vamos olhar para tras e ver que valeu a pena!

Deus te abençoe grandemente e fique à vontade para comentar.

Thiago Schadeck

@pregandoverdade

Explicando os Dizimos e Ofertas

A paz do Senhor Jesus!

Quero compartilhar com vocês um assunto extremamente importante, porém controverso e distorcido em algumas igrejas: DIZIMOS e OFERTAS.

Antes de qualquer coisa temos de deixar claro que existem dois tipos de ofertas bíblicas: Voluntárias e Alçadas

voluntárias: Como é próprio nome diz, é a oferta que você sente em seu coração de colaborar com a obra do Senhor, como o apostolo Paulo nos orienta em II coríntios 9:7

Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria.

Ninguém pode ser obrigado a ofertar e nem ter valor determinado, isso quem decide é o ofertante. Deus toca no coração da pessoa que dá o valor que lhe parecer melhor.

Alçadas: São aquelas ofertas com valor estipulado e com um fim combinado desde sua solicitação. Ex.: Construção do templo, compra de um veículo para a igreja, ajuda a um irmão necessitado e etc. Um exemplo dessa oferta temos em êxodo 35:21

E veio todo o homem, a quem o seu coração moveu, e todo aquele cujo espírito voluntariamente o excitou, e trouxeram a oferta alçada ao SENHOR para a obra da tenda da congregação, e para todo o seu serviço, e para as vestes santas

A oferta que Moisés estava recebendo tinha um fim específico e muito bem definido, construir a tenta que o Senhor lhe havia mandado. Notem que mesmo a oferta alçada deve ser trazida voluntariamente, ninguém pode ser obrigado a ofertar em hipótese alguma.

Dizimos:  Os dizimos são a décima parte de tudo o que o Senhor nos dá, conforme Levítico 27:32 (NVI) O dízimo dos seus rebanhos, um de cada dez animais que passem debaixo da vara do pastor, será consagrado ao Senhor. No tempo em que a Bíblia foi escrita, as negociações eram pagas com gados, plantações e etc, mas hoje devemos dizimar em dinheiro, pois recebemos nosso salário em dinheiro.

O dizimo não é lei, pois  antes mesmo que a lei fosse instituída, Jacó entregou seu dizimo ao Senhor, como podemos ver em Gênesis 28:20-22

Então Jacó fez um voto, dizendo: “Se Deus estiver comigo, cuidar de mim nesta viagem que estou fazendo, prover-me de comida e roupa, e levar-me de volta em segurança à casa de meu pai, então o Senhor será o meu Deus. E esta pedra que hoje coloquei como coluna servirá de santuário de Deus; e de tudo o que me deres certamente te darei o dízimo”.

Os dizimos são voluntários, devem ser dados como reconhecimento de que o Senhor tem suprido nossas necessidades, que ele é o nosso provedor. Quando devolvemos nosso dizimo ao Senhor, estamos demonstrando no mundo espiritual e físico que confiamos no Senhor e que Ele tem nos sustentado. Muitas vezes é difícil separar os 10% do Senhor e entregar a Ele, porém quando o fazemos, as bênçãos do Senhor nos alcançam.

Antes de qualquer coisa preciso deixar bem claro, que se alguém entrega o dizimo ou uma oferta e já cobra a Deus o que está precisando, está fadado a não conseguir, pois isto é barganha, por exemplo:

“Senhor, estou te dando R$ 50,00 nesta oferta, mas amanhã eu preciso de R$ 500,00 pra pagar meu aluguel”

Eu ceio, e muito, que o Senhor pode abençoar essa pessoa e ela ter os R$ 500,00 que precisa pra honrar seu compromisso, mas esta atitude demonstra barganha. Quando impomos condições ao Senhor, o que Ele deve fazer só porque estamos ofertando, estamos contratando um empregado. O que Deus definitivamente não é!

Um outro texto muito utilizado no momento de ministração sobre dízimos e ofertas é o de Malaquias 3:10-12

Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes.

Os dizimos devem ser entregues para a manutenção do templo (como tesoureiro posso dizer que gasta muito), para que haja o mantimento fisico, como cestas básicas para ajuda dos que ainda necessitam.E o alimento espiritual, a palavra sendo pregada com um equipamento de som bom, pessoas sentadas em bancos ou cadeiras confortáveis, uma boa iluminação e etc.

Deixo bem claro que sou contra os mega templos, com pisos de mármore italiano, púlpitos de ouro, cadeira do pastor trazida de Israel, o que defendo é o conforto para as pessoas se sentirem bem ao cultuar ao Senhor.

E por causa de vós repreenderei o devorador, e ele não destruirá os frutos da vossa terra; e a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos.

Há quem diga que o único demônio que o nome de Jesus não pode repreender é o devorador. Isto é uma mentira para forçar as pessoas a serem dizimistas. O nome do Senhor está acima de todo e qualquer demônio, o que acontece é que quando entregamos o nosso dizimo, o Senhor nos faz prosperar, que nada mais é que termos tudo o que necessitamos. Ele nos promete que a nossa vide não será estéril, ou seja, pelo menos de onde tirar o nosso sustento está garantido.

Se você é dizimista e ofertante na igreja em que congrega e vê onde o dinheiro é investido, faz muito bem, pois isto é um principio de bênção em sua vida. O Senhor se agrada muito desta atitude, porém apenas isso não é o suficiente para agradar a Deus, ele também quer sua vida 100% entregue a ele, quer que você fale do amor dele, do que Ele já fez em sua vida.

Importante também lembrar que se eu sou dizimista e não me comporto como um bom profissional no meu emprego, chego atrasado, não trabalho direito, fico de conversinha, PARO DE TRABALHAR PRA LER A BIBLIA e outras atitudes que não são as corretas, o Senhor não tem obrigação alguma de me prosperar, porque esta parte é a minha obrigação e Ele não interfere se eu não me entregar verdadeiramente e me esforçar para se exemplo em todas as áreas.

E se você serve a Deus e é dizimista apenas porque espera que Deus vá lhe dar muito dinheiro, faz isso esperando muitas riquizas, fique com uma frase no seu coração, não sei quem é o autor, mas é muito profunda:

“Quem serve a Deus por dinheiro, servirá ao diabo por um salário melhor”

Espero ter conseguido esclarecer duvidas que por ventura você tenha, mas se por acaso não deu, mande um e-mail para schadeck03@hotmail.com ou deixe um comentário, que responderei.

Que Deus abençoe cada visitante deste blog grandemente!

Thiago Schadeck

@pregandoverdade

Jesus, o Pão da Vida!

 

A gloriosa e Santa paz de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo!

Há um ditado popular que diz: “Está comendo o pão que o diabo amassou”, que muitas vezes é um ditado verdadeiro, pois a pessoa que não serve ao Senhor acaba fazendo as vontades do inimigo. O próprio Jesus disse que quem não é com ele, é contra ele (Mateus 12:30), logo, se não estou no “mesmo time que o Senhor”, estou contra Ele.

Não são raras às vezes em que as pessoas chegando às igrejas com a vida toda destruída, casamentos arrasados, filhos nas drogas, etc. Aos olhos da sociedade são pessoas que realmente comem o pão que o diabo amassou. Muitas dessas pessoas já perderam as esperanças, e cabe a nós, IGREJA (amor fraternal e não instituição) acolher e ensiná-los que há o Caminho, a Verdade e a Vida (João 14:6) e que ainda há uma esperança, que temos um Deus que se importa com os nossos sentimentos. Temos que mostrar aos necessitados que servimos a um Deus pessoal, que nos ama.

O amor de Deus por nós é tão grande, que deu o seu único filho para a nossa salvação (João 3:16), e este filho, nosso Senhor Jesus, que nos amou a ponto de se entregar na cruz do Calvário. Derramou cada gota de seu sangue simplesmente por AMOR!

Mas este filho, Jesus, quando estava aqui na terra, como homem, ao pregar ao povo, se declarou o PÃO da vida (João 6:48)  e quem comer deste Pão terá a vida eterna (João 6:51).

Mas por que Jesus usou a figura de um pão para comparar a si?

O pão nos tempos de Jesus era o alimento mais consumido, em todas as refeições o pão estava presente. O pão era consumido por pessoas de todas as classes sociais e idades, ninguém desprezava este alimento.

Quando Jesus se diz o Pão da Vida, na verdade está nos ensinando a tê-lo como indispensável, em todas nossas refeições, festas, no cotidiano e etc. Jesus tem que ter para nós a mesma importância que o pão tinha para o povo da época em que esta mensagem foi pregada. Temos que comer deste Pão todos os dias, através de sua palavra. Quando nos alimentamos do Pão da Vida, temos mais nutrientes e somos mais fortalecidos espiritualmente para enfrentarmos as batalhas da vida.

Quem come deste Pão tem a vida eterna, que é a maior promessa que o Senhor nos fez e deve ser a meta de todo cristão. Mas quem não come desse pão, ainda que não perceba está se condenando.

Nós usamos o nosso tempo livre fazendo tantas coisas que não nos edificam, como assistindo BBB, A Fazenda, navegando na internet para ver quais são as fofocas do dia, assistindo novelas que não ensinam nada alem de que não é possível ser feliz e fiel ao mesmo tempo e tantas outras porcarias que temos na TV tupiniquim.

Vamos passar a utilizar melhor o nosso tempo, estudando a Palavra do Senhor e crescendo em graça e conhecimento, porque esta é a vontade do nosso Deus, que O conheçamos.

Que Deus te abençoe grandemente e que este texto tenha te edificado um pouco mais na fé!

Thiago Schadeck

@pregandoverdade

 

Ceia – Um memorial à morte de Cristo

A paz do Senhor Jesus Cristo!

Este post dará inicio a uma série que pretendo fazer, com assuntos que vão mais de encontro ao ensino.

Neste primeiro, quero falar sobre a Ceia, ou Santa Ceia como alguns preferem. Tenho certeza que quase todos os cristãos que congregam em uma igreja, participam da ceia.

O texto base mais usado no momento da ceia é o do apostolo Paulo na sua primeira carta ao Coríntios, no capitulo 11 a partir do versículo 23.

1 Coríntios 11:23-24 – Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão;E, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim

Primeiro ponto a ser ressaltado é que o Senhor Jesus deu graças ao Pai, o que era uma prática dele, embora sendo Deus, se fez homem e se sujeitou ao poderio de Deus.

O pão passou a representar o corpo de nosso Senhor, que foi entregue por nossos pecados. O senhor não foi obrigado a ir até a cruz como muitos pensam, mas ele se entregou voluntariamente e por um único motivo, porque teve misericórdia de nós!

Fazei isto em memória de mim, ou seja, a ceia é um memorial da morte do Senhor Jesus. Cada vez que participamos da ceia, anunciamos que o Senhor se entregou naquela cruz para nos salvar. Se não fosse aquele ato, não haveria salvação.

1 Coríntios 11:25 – Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim

O sangue de Jesus, representado no cálice com o suco da uva, nos deu livre acesso ao trono de nosso Deus. Com o seu sangue nos resgatou, e nos deu a possibilidade de desfrutarmos da VIDA ETERNA, que deve ser o alvo de todo cristão.

1 Coríntios 11:26 – Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha

Quando estamos ceando, estamos anunciando a morte do nosso Senhor, estamos mostrando uma luz e a salvação a este mundo. A ceia nos traz a mente todo o sofrimento que o Senhor Jesus passou no calvário. Todo o sofrimento que ele passou, todos os tapas e cuspidas deveriam ser em nós, mas ele tomou o nosso lugar e se fez maldição para nos salvar. O cordeiro de Deus tirou o pecado do mundo naquela cruz!

1 Coríntios 11:27-29 – Portanto, qualquer que comer este pão, ou beber o cálice do Senhor indignamente, será culpado do corpo e do sangue do Senhor. Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma deste pão e beba deste cálice. Porque o que come e bebe indignamente, come e bebe para sua própria condenação, não discernindo o corpo do Senhor.

O que seria comer e beber indignamente na ceia? Muitos usam este texto para ficar controlando os membros que devem ou não cear, mas no versículo 28 o apostolo Paulo, inspirado pelo Espírito Santo, nos instrui que cada um deve examinar a sí mesmo. Cada um deve ter a conciência de como está sua vida diária com o Senhor.

Existem pessoas que em semana de ceia ficam preocupadas ao extremo, se controlam para não brigar, evitam o pecado, deixam a televisão de lado e passam a meditar mais na Bíblia, buscam mais ao Senhor em oração, mas quando acaba o culto de ceia, deixa de lado todo o esforço que fez na semana da ceia, logo estão se enganando com uma santidade passageira e aparente, pois isto torna-se apenas um ritual.

Comentários sobre a ceia

Quero deixar bem claro que aqui vou expor minhas opiniões, sendo assim podem haver divergências e o espaço de comentários pode ser utilizado para que você também dê a sua opinião.

Só deve servir a ceia aos batizados?

Não consegui encontrar na Bíblia nenhuma passagem que obrigue a pessoa a ser batizada para cear, porém acredito que seja o mais prudente a ser feito por um simples motivo:

A pessoa pode se acomodar com a situação e não querer descer às águas, que é o ato publico de mostrar ao mundo que agora pertencemos ao Senhor.

Deve-se servir suco de uva ou vinho?

Na minha modesta opinião, não há problema em o cristão tomar um pouco de vinho, desde que isso não o embreague e que não vire vicio, o apostolo Paulo manda Timóteo tomar vinho por conta de suas enfermidades. Porém na ceia eu sou contra servirmos o vinho, pois existem muitos (e coloca muitos nisso) ex-alcolatras nas igrejas e um contato com o álcool pode ser a porta de entrada para o retorno ao vício. Se a pessoa não estiver totalmente firmada aos pés do Senhor, podemos, ainda que involuntariamente, jogá-la de volta nos braços do vício. Sendo assim, o melhor é utilizarmos o suco de uva puro e concentrado, que é muito parecido com o vinho, mas sem o teor alcólico.

Quem pecou pode cear?

Esta é uma das questões que mais ouço sobre a ceia. Existe alguém que não peque mais? Será que os pastores que ministram a ceia não tem pecados? Já passaram para um corpo incorruptível? Claro que não!

A relação pecado e ceia deve ser levada muito a sério, então se houver o ARREPENDIMENTO (é perceber o erro e lutar para não cair mais nele), o Senhor nos perdoa de todos os pecados, nos tornando livres para cearmos de consciência limpa! Todos nós ainda cometemos pecados, mas não podemos levar uma vida de pecados.

Espero ter edificado um pouco mais a sua fé, e a minha oração é que o Espírito Santo fale muito ao seu coração, indo muito além do que eu escrevi aqui.

Que Deus te abençoe muito!

Fiquem a vontade para comentar, divulgar (copie esse link http://wp.me/pRIhJ-4o), indicar e reproduzir.

Ao Senhor seja dada toda honra, glória e louvor, pois só ele é digno!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 532 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: