Devocional · Espírito Santo · Ministerial

Orgulho e o coração humano

CORACA PEDRA

Por Renato Santiago

Significado da palavra orgulho:  s.m. Elevado conceito que alguém faz de si próprio. / Amor-próprio exagerado. / Brio. / Altivez, soberba. / Ufania.   http://www.dicionariodoaurelio.com/Orgulho.html

Assim como todos os pecados que habitam no âmago da natureza humana, o orgulho também passou a fazer parte de nosso ser a partir da queda no Éden.

Mas esse mal já havia se manifestado antes da criação, no coração de Lúcifer, quando ele ainda era um anjo de luz, regente dos coros celestiais, vivendo em posição privilegiada dada por Deus, adornado com toda sorte de pedras preciosas. Mas ao intentar seu coração para o mal, quis ser como Deus, chegando ao ponto de almejar o lugar do SENHOR. Como consequência foi lançado fora da presença de Deus para sempre. (Ezequiel 28:13-18)

Voltando à queda no Éden, desde então nosso coração passou a ser terreno fértil para toda sorte de sentimentos, principalmente os maus. A partir do momento que escolhemos uma vida distante de Deus, fazendo nossas próprias escolhas e vivendo de acordo com nossos próprios desejos, nosso coração passou a exibir uma característica semelhante a de Lúcifer: o orgulho.

Que triste sentimento! Que pecado contra o Senhor! Pobre raça humana!

É muito comum vermos pessoas assim, orgulhosas, soberbas, cheias de si, se achando os “donos da cocada preta”. Pessoas com coração duro, com dificuldades enormes em ser contrariadas, corrigidas.

Você já parou pra pensar quantos problemas seriam evitados no dia-a-dia se fôssemos menos orgulhos?

Quantos casamentos não teriam sido desfeitos se um cônjugue não colocasse toda a culpa dos problemas no(a) companheiro(a)?

Quantos homicídios seriam evitados se houvessem mais pedidos de perdão?

Quantos pessoas permaneceriam em seus empregos se aceitassem as críticas construtivas e tentassem melhorar seu desempenho?

Quantas brigas no trânsito seriam evitadas com simples pedidos de desculpas?

Quantos desentendimentos familiares não teriam acontecido, se os filhos recebessem os conselhos e a correção dos pais como algo valioso?

Vivemos em uma época que muitas pessoas não gostam de ser contrariadas, normalmente a primeira reação a algo que vai afetar nosso ego, nosso orgulho, é a auto-defesa,  o contra-ataque (como se vivêssemos em uma constante de disputa sobre quem está certa ou errado).

É aquele ditado futebolístico: “a melhor defesa é o ataque”.

Uma irmã em Cristo definiu bem essa situação, ela disse: “as pessoas precisam aprender a ter um coração ensinável, pois são muito resistentes”. E é por aí mesmo. A maioria das pessoas odeia correção, ou até mesmo sugestão. Muitos não costumam aceitar conselhos de ninguém, se sentem inferiores assim.

Eu como cristão, servo do Deus altíssimo, pergunto aos meus irmãos em Cristo:

-Como pode uma pessoa regenerada pelo Espírito Santo ser orgulhosa, intransigente?

É impraticável a vida cristã sem humildade. O coração duro do homem é uma porta fechada ao Espírito Santo. Como poderei falar do amor de Deus se eu mesmo não tiver uma conduta condizente? Talvez seja essa uma das maiores reclamações das pessoas contra os evangélicos: o orgulho. Várias vezes já ouvi a seguinte frase: “esses crentes são metidos a besta”. E alguns são mesmo, infelizmente.

E não é por falta de bons exemplos, temos vários na Bíblia, vou citar um: Davi.

Uma passagem muito conhecida do Antigo Testamento nos leva a refletir sobre essa questão. Davi, então Rei de Israel, aproveitou-se de sua autoridade para se deitar com a esposa de um soldado (Urias), e além de levar a mulher (Bate-seba) para o palácio, ainda teve a coragem de forjar a morte do marido, colocando-o no fronte do exército. (2Sm 11:2-24)

Mas um dia Deus enviou Natã à casa de Davi, e este condenou o seu pecado, comparando suas atitudes a de um homem que mesmo tendo várias cabras e vacas decide dar a um viajante a única cordeira de seu vizinho pobre (2sSm 12: 1-7). Davi imediatamente reconheceu seus erros: “Então disse Davi a Natã: Pequei contra o Senhor” (2 Sm 12:13a).

Orando

Aí está a chave, o homem pecou contra Deus, mas ao ser repreendido pelo profeta do Senhor, simplesmente reconheceu seus erros e se prostrou em arrependimento. O Salmo 51 revela uma das mais belas orações contidas na Bíblia, veja um trecho: “Tem misericórdia de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas transgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias.Lava-me completamente da minha iniqüidade, e purifica-me do meu pecado. Porque eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim.Contra ti, contra ti somente pequei, e fiz o que é mal à tua vista, para que sejas justificado quando falares, e puro quando julgares” (Sl 51:1-4).

Mas infelizmente, hoje muitos no lugar de Davi teriam expulsado Natã de sua casa, esbravejando: “quem é você para me julgar?”, ou “Não toqueis no ungido do Senhor!!” ou então: “É Deus quem me julga!” e outras frases decoradas, que na verdade revelam que a falta de temor ao Senhor impera. O ego prevalece.

Concluindo, o orgulho é um dos sentimentos mais perversos de nosso coração, revela uma tendência a nos assemelhar a Lúcifer, é duro mas é verdade. A Bíblia é clara sobre isso: “ Antes, ele dá maior graça. Portanto diz: Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes.” (Tiago 4:6)

Mas não ouviram, nem inclinaram os seus ouvidos, mas andaram nos seus próprios conselhos, no propósito do seu coração malvado; e andaram para trás, e não para diante. (Jr 7:24)

Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos.
Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus,
Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te.
(2 Tm 3:1-5 )

E pra fechar,  o maior exemplo de todos:

“Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo. Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros. De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. (Filipenses 2:3-8)

Então deixe esse orgulho de lado, viva mais, ame, perdoe, ria, aprenda, ensine, ouça, cresça, seja maleável, promova a paz, você será mais feliz!

Anúncios

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s