Não Categorizado

DAVI E GOLIAS: Uma visão espiritual da batalha

image
Batalha entre Davi e Golias

A história de Davi e Golias é com certeza uma das mais conhecidas de toda a bíblia. Quaquer criança que frequenta a salinha do culto sabe contá-la. Talvez por isso não nos atentamos a pequenos detalhes, que fazem uma grande diferença. Devemos olhar a história de Davi e Golias pelo lado espiritual.
Para facilitar a compreensão, dividirei o texto em três partes.

O que se passava antes da luta entre Davi e Golias?
O exército de Israel estava acampado, aguardando que a guerra se iniciasse, porém, por quarenta dias, de manhã e a tarde, aparecia um gigante chamado Golias e os desafiava a batalha. Se algum soldado de Israel tivesse coragem de enfrentá-lo e conseguisse vencê-lo, os filisteus seriam escravos de Israel, mas se perdesse a luta, Israel serviria os filisteus. Além de ser um gigante experiente em batalhas, Golias ainda usava uma armadura imponente e empunhava uma lança amedrontadora. Isso fazia que os israelitas temessem enfrentá-lo, pois sabiam que um golpe de Golias seria fatal.
Na verdade, o que os israelitas sentiam não era medo, mas pânico. A diferença entre os dois é simples: o medo te faz pensar bem antes de agir, pois reconhece os riscos. O pânico te paralisa e não te deixa raciocinar, sofrendo a derrota por antecedência.
Mas a situação de Israel começa a mudar quando Davi chega ao arraial Israelita para levar mantimentos e saber notícias de seus irmãos. Ao saber da recompensa que teria aquele que vencesse o gigante, ele decidiu que iria à luta.

Davi e Golias se enfrentam
Davi era um garoto franzino e de boa aparência, não botava medo em ninguém, muito menos em um gigante guerreiro. O que ninguém contava é que apesar dessa “desvantagem”, ele era extremamente corajoso e já havia enfrentado ursos e leões para defender as ovelhas que pastoreava (1 Samuel 17:34) e os venceu. Davi sabia que não estava sozinho naquela batalha. Ele sabia que Deus estava ao seu lado e isso fica claro em sua resposta a Golias: “Davi, porém, lhe respondeu: Tu vens a mim com espada, com lança e com escudo; mas eu venho a ti em nome do Senhor dos exércitos, o Deus dos exércitos de Israel, a quem tens afrontado. (1 Samuel 17:45)
Davi não foi enfrentar Golias para mostrar o quão bom ele era em guerrear, até porque, diferente dos demais, era um garoto inexperiente nesse tipo de batalhas. O que motivou Davi foi o fato de ele poder provar que o Deus de Israel estava com seu povo e não aceitaria aquela afronta.
Enquanto Golias veio todo aparelhado para o embate, Davi tinha apenas uma espécie de estilingue e cinco pedras. Quando o filisteu abriu a guarda, o garoto acertou uma pedrada em cheio no meio da testa, o que levou o gigante Golias ao chão. Davi não teve dúvidas, para não dar chance de Golias acordar e levantar, pegou a espada do gigante e arrancou-lhe a cabeça, dando fim ao sofrimento e humilhação de seu povo.

Davi, Golias e a Igreja hoje:
Pleno século XXI, com bíblias impressas nas mais diversas linguagens e ainda está cheio de crentes que pensam que os nossos inimigos são as pessoas. Não conseguem enxergar que o mal que o ser humamo pratica é fruto do pecado que habita em nós e, mesmo nós que já conhecemos a Deus, ainda não somos totalmente livre de nossa natureza pecaminosa. Como bem escreveu o Apóstolo Paulo, “Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes permanecer firmes contra as ciladas do Diabo; pois não é contra carne e sangue que temos que lutar, mas sim contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes do mundo destas trevas, contra as hostes espirituais da iniqüidade nas regiões celestes.” (Efésios 6:11-12)
A despeito de a batalha entre Davi e Golias ser real, é uma tolice querer literaliza-la hoje. Ela é um grande ensinamento para nós. Golias representa o Diabo, com as artimanhas do mundo, que parece ser muito maior e mais poderoso que nós,  porém temos em nós algo muito maior que ele, o Espírito Santo de Deus. Devemos enfrentá-lo em nome do Senhor dos Exercícios. Jesus deu essa autoridade aos seus discípulos. Note que a autoridade foi dada aos discípulos e não aos seus ouvintes. Com pecado não há negociação, deve arrancá-lo pela raiz, “arrancar a cabeça”. Pecado adormecido pode acordar a qualquer momento, só a espada de dois gumes (Hebreus 4:12) pode cortar seu mal e evitar o crescimento. É assim que se trata o pecado, como uma erva daninha.

Que Deus te abençoe! Reflita onde o inimigo tem te afrontado e enfrente-o. Cristo está contigo!

Anúncios

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s