O Cristão e a Depressão 

Depressão em cristãos. Quem está deprimido não tem que passar por exorcismo

Por Thiago Schadeck,

Depressão é um dos males do nosso tempo. Tem acometido muitas pessoas e cada vez mais precocemente. Já existem diversas crianças com essa doença desde muito cedo, o que muitas vezes dificulta o tratamento porque acreditam que a criança é quieta por conta de sua personalidade. Normalmente ela se instala nos adultos por uma fadiga excessiva ou por conta de uma grande perda ou decepção. Muitos sequer reconhecem que estão deprimidos. O diagnóstico é dificultado pelo fato de que apesar de a depressão causar dores físicas, sua origem é na alma.

Por falta de conhecimento do assunto, muitas vezes pensamos que a depressão é apenas uma frescura ou um charme e que a pessoa não sai de casa e nem se relaciona com outras pessoas porque não quer. Mas o que é simples para alguém saudável emocionalmente pode ser um grande desafio a alguém depressivo. Isso porque a depressão suga toda a nossa vontade de viver, ela tira a nossa alegria em vivenciar as mais belas coisas da vida. O mundo fica cinza e a vontade de viver se esvai pouco a pouco. 

Visão de mundo de um depressivo

Visão de mundo de um depressivo

A depressão, como qualquer outra doença, tem alguns estágios. O pior deles é o que a pessoa perde as forças para lutar e se vê no fundo do poço. Normalmente não tem ânimo de sair da cama, quer ficar o tempo todo sozinho e não gosta de ser incomodado. Nessas horas o Diabo se aproveita para sussurrar ao ouvido o quanto a pessoa é inútil e lhe dar a idéia de tirar a sua própria vida. Ela não é uma ação demoníaca, mas a pessoa fica fragilizada espiritualmente, isso porque suas esperanças, inclusive em Cristo, vão se acabando.

  • Pastores depressivos:

As pesquisas são alarmantes e apontam que cerca de 50% dos pastores sofrem com a depressão. Isso acontece principalmente porque a responsabilidade do ministério lhes suga muita energia. Pouquíssimos pastores têm o privilégio de dar uma vida boa e confortável à família apenas com a ajuda que a igreja lhe dá (quando dá). Além disso, muitos pastores tem seus empregos seculares – até para não serem pesados para a igreja – e estão, quase que diariamente, envolvidos em todas as atividades da igreja. Some-se a isso as contas da igreja, os problemas que os irmãos lhe trazem todos os dias, sua família e os cultos em que prega – normalmente mais de uma vez por semana.

o ministério é extremamente pesado e os pastores se cobram além do que deveriam, por conta disso nunca estão satisfeitos com o resultado alcançado. Eles estão sempre preocupados com aquele membro que não vem mais à igreja e nem quer saber de Deus. Ficam preocupados com o filho daquele casal que está envolvido com o crime e deixa os pais sem dormir. Está preocupado com o pai de família que ficou desempregado e corre o risco de ser despejado. Essa preocupação com fatos que vão além de seu alcance que trazem, na maioria das vezes, a depressão.

  • Como tratar a depressão?
  • Tratamento médico
  • Por anos os cristãos desprezaram a ajuda médica no tratamento da depressão, mas ela é de extrema importância. Claro que Deus é poderoso para curar qualquer que seja a doença, mas isso não nos isenta de procurar a ajuda especializada. Há de se ter o cuidado com o profissional escolhido, de preferência um cristão. 

    Interessante que desprezamos a ajuda dos médicos porque Deus pode nos curar, mas não desprezamos um professor porque Deus pode ensinar nossos filhos a ler e escrever.

  • Oração
  • A pessoa que está depressiva precisa ser incentivada a orar e buscar a misericórdia de Deus. Portanto, se há alguém próximo a você que sofre desse mal, ore por e com ele. Apesar de o tratamento médico ser importante, a oração ainda é a forma mais eficaz de tratar qualquer problema. O tratamento médico complementa o clamor e não o contrário.

    Saiba que por vezes a oração não será bem vinda pela pessoa que atravessa a fase depressiva, respeite-a e ore sozinho, pedindo que Deus quebrante aquele coração e que o Espírito Santo o console. Existem momentos de crise em que a aproximação é dificil e falar sobre Deus fica quase impossível. Isso acontece por conta da perda de esperança que já citei.

    O oração de alguém que passa por uma depressão deve ter a oração de Davi no Salmo 51:12:

    “Devolve-me a alegria da tua salvação e sustenta-me com um espírito pronto a obedecer.”

    Quem passa por uma crise depressiva precisa receber a alegria da salvação, porque ela traz consigo a esperança e a certeza de que por maiores que sejam nossos problemas, Deus está conosco. Ele já nos preparou a eternidade e a nossa vitória é certa!

Anúncios

EVANGELHO E FINANÇAS: CONSUMISMO

Muitas pessoas são consumistas e não de dão conta. Esse texto traz um diagnóstico preciso.

Por Thiago Schadeck,

Você é consumista?

Ao ouvir essa pergunta, somos tentados a responder um sonoro NÃO de bate-pronto, mas a questão é que não dá para responder sem antes fazermos uma análise mais calma de toda a situação.  Claro que existem os consumistas compulsivos e esses precisam de tratamento, mas existem pessoas que são consumistas num “grau mais leve” e nem sempre se dão conta disso. Vejamos algumas caracteristicas de pessoas que são, em algum nível, consumistas:

  • Compram o que não precisam
  • Usam as compras como forma de relaxar
  • Não tem controle sobre a fatura do cartão de credito
  • Compram coisas que “perdem a graça” em pouco tempo
  • Querem sempre o modelo mais atual
  • Querem comprar sem antes ter acabado de pagar a compra anterior

    Esses são apenas alguns exemplos de pessoas que tem um estilo de vida consumista. Certamente você conhece alguém assim. O sujeito compra um celular em 18x, com juros no cartão de crédito, e antes de quitar essa dívida já quer trocá-lo porque o fabricante lançou um modelo novo. Outro ponto comum são as pessoas que vão à loja, experimentam uma roupa, gostam, compram e quando chegam em casa percebem que na verdade não ficou tão boa quanto a empolgação do momento deu a impressão. Envergonhados, não voltam à loja para trocar a peça por uma que de fato fique boa.

    O calor do momento nos faz ver vantagens onde não tem e encobre os defeitos mais evidentes. Para algumas pessoas o momento da compra se assemelha muito a uma paixão, onde tudo é lindo e não há qualquer defeito, mas com o passar do tempo e o controle das emoções, percebe-se que há algo de errado com aquele objeto. Existe quem compre um carro sem consultar um mecânico porque no calor da venda e a experiência do vendedor, só foi ressaltado aquilo que é bom do veículo, mas uma breve busca no Google já faria a venda ficar pelo menos em stand by. 

    Quem compra por impulso, invariavelmente faz maus negócios! 

    Quando a pessoa é consumista, certamente terá de trabalhar muito mais para ter uma renda maior e consequentemente conseguir bancar esse estilo de vida. Por conta disso, famílias são destruídas, a saúde é prejudicada e  as horas de sono são sacrificadas. Tudo para poder desfrutar por um tempo de coisas materiais e supérfluas, que não saciam o vazio na alma. Muitos querem ser vistos por aquilo que tem e não pelo que são, aí entra o consumismo e a vida se torna um círculo vicioso, quanto mais compra, mais precisa comprar.

    • Consumismo infantil:

    Os pais sempre vão querer dar uma vida melhor que a que tiveram aos filhos e isso é bom, mas se não nos cuidarmos criaremos consumistas mirins. Uma criança que tem tudo o que quer não dará valor a nada. Se a criança não tiver que conquistar o que quer, jamais saberá o sacrifício que há para conseguir adiquirir algo. É um grande desafio mostrar a essas crianças que o certo não é juntar a maior quantidade de bens possível, mas ter a melhor vida possível, o que não necessariamente tem a ver com dinheiro ou aparelhos eletrônicos. 

    Crianças de 4 ou 5 anos já tem celulares de ultima geração, algumas vezes até melhores que dos pais e isso é uma porta aberta para males muito maiores que o consumismo em si. O consumismo que os pais implantaram na criança pode abrir uma porta para a pedofilia, por exemplo, visto que hoje todos os celulares tem câmera e acessam a internet. Ou então crianças um pouco maiores, na casa dos dez anos, que estão descobrindo a sexualidade, troquem “nudes” com outras crianças da mesma faixa etária.

    O ideal mesmo é que busquemos o contentamento, como bem enfatizou o apóstolo Paulo:

    “De fato, a piedade com contentamento é grande fonte de lucro, pois nada trouxemos para este mundo e dele nada podemos levar; por isso, tendo o que comer e com que vestir-nos, estejamos com isso satisfeitos.” (1 Timóteo: 6. 6-8)

    Se soubermos valorizar as coisas que já conquistamos, certamente aquilo que ainda desejamos perderá a força. Mesmo que ainda teremos o desejo de conquistar, o que é bom, não o faremos a qualquer custo. 

    Nós já temos o suficiente, o que buscamos é, na verdade, um luxo a mais para podermos desfrutar.