As dificuldades da vida e a provisão de Deus!


DEUS PROVEDOR JEOVÁ RAFÁ

Em tempos de pandemia e quarentena, muitos irmãos nossos passam por dificuldades e não veem mais esperanças de dias melhores. Porém, servimos a um Deus que prometeu cuidar de nós, que quando encarnou e se fez homem, prometeu estar conosco todos os dias e seu Espirito nos consola e nos ajuda em nossas fraquezas.

Quem não tem um testemunho de uma intervenção divina naquele momento de dificuldade que tenha passado na vida? É fato que servimos a um Deus provedor e que cuida de nós em todo o tempo. Quando falo de provisão divina, não limito apenas ao físico e material, mas a tudo o que nos envolve.

Na Bíblia podemos contatar diversas histórias sobre como Deus agiu quando o seu povo não tinha a menor possibilidade. Os Hebreus no deserto após sair do Egito são um grande exemplo disso. Eles nos dão uma prova de que Deus não nos socorre pelos nossos meritos, mas unicamente pelo seu amor e sua fidelidade. Embora aquele povo fosse ingrato e murmurador, Deus não os desamparou e proveu comida, água, coluna de fogo para aquece-los durante a noite e a núvem durante o dia para que o sol escaldante não os molestasse. Suas roupas e calçados não ficaram pequenos e nem se rasgavam. Apesar de quase ninguém ter entrado na terra prometida, por conta de sua rebelião contra Deus, eles foram supridos de tudo aquilo que necessitavam.

Elias é outro caso em que Deus agiu diretamente por sua provisão. Depois de vencer os profetas de Baal no monte Carmelo, ele foi ameaçado por Jezabel e fugiu para a caverna. Lá ele entrou em depressão e acreditava que seu ministério havia terminado, mas o Senhor ainda tinha planos com Ele. Deus mandava que os corvos o alimentassem, provendo assim mantimento para ele. Mas a provisão de Elias não se limitou apenas ao mantimento ou ao poder para fazer chover fogo do céu e consumir a oferta no altar, foi muito além! Deus deu a ele um parceiro de ministério que foi seu braço direito e sucessor. Eliseu deu forças para Elias seguir em sua caminhada profética.

Muitas vezes Deus não faz chover pão do céu nem tampouco aparecer dinheiro em nossa conta, mas nos envia amigos com quem podemos contar quando a coisa estiver boa ou quando estivermos na pior. Foi assim também com Paulo, que escreve em 1 Tessalonicenses 3:6, dizendo que foi animado pela chegada de Timóteo, seu filho na fé. Em Filipenses 4:12-13, ele escreve que aprendeu a viver bem em toda e qualquer situação, seja com abundância ou em necessidade; bem vestido ou nu; saudável ou doente. Paulo entendeu que Cristo era o seu suprimento diário e que ele podia passar por tudo isso porque o próprio Jesus o fortalecia. Quando o apóstolo dos gentios ora pela terceira vez pedindo a Deus que lhe fosse tirado o espinho da carne (2 Coríntios 12:8-9), o Pai lhe dá a seguinte resposta: “a minha graça te basta, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza”. Deus usava a dor e a fraqueza de Paulo para aperfeiçoá-lo. Não há registros bíblicos de que ele tenha reclamado a falta de algo ao Senhor,isso porque ele entendia que o que tinha já era o suficiente.

Assim como esses homens de Deus, nós também somos supridos diariamente. Apesar de todas as dificuldades que a vida nos impõe, continuamos sendo sustentados pelo Senhor. Desanimar e achar que chegou o fim da linha é normal, somos seres humanos e limitados. Mas servimos a um Deus que pode todas as coisas e faz com que tudo, até mesmo as dificuldades e dias ruins, contribuam para o nosso bem!

Que Deus nos abençoe e encoraje a sermos cada vez mais valentes no enfrentamento das dificuldades, sabendo que O temos como refúgio!

VICTOR AZEVEDO, O MOLEQUE COACH, DIZ QUE A BÍBLIA NÃO É A PALAVRA DE DEUS.


Não se deve deixar que moleques imaturos e despreparados tenham oportunidade de falar, isso invariavelmente trará problemas. O Victor Azevedo é um exemplo disso. Já afirmou categoricamente que cristãos são pequenos deuses e agora defende que “se a Bíblia é a Palavra de Deus, Jesus se resume em poucas páginas”.

Ao bom estilo político safado, Victor joga informações aleatórias, desconexas e com uma certeza tão incrível que as pessoas ficam com medo de discordar. É uma técnica de oratória muito utilizada em debates e não dá chance ao oponente para esclarecer o volume de informações lançadas, sem qualquer ligação entre si e sem referências. Repare que ele faz isso quando cita Constantino como o responsável pelo Cânon Bíblico e já muda de assunto.

A verdade é que enquanto coaches e moleques tiverem acesso aos microfones e destaque nas igrejas, besteiras como essas serão propagadas. Não é a primeira vez que o Victor prega falsos ensinos e é publicamente refutado por pastores de diversas linhas doutrinárias. Isso significa que não é apenas uma divergência teológica, mas heresias descaradas sendo entregues como verdades ao povo.

E fica o questionamento: se a bíblia não é a Palavra de Deus, onde o Victor estuda, aprende e usa como fonte para ministrar às pessoas? Se a Bíblia não é a Palavra de Deus, qualquer coisa que se proponha a falar sobre Ele, passa a ter igual importância ao que consideramos as sagradas Escrituras.

Dá para entender o tamanho do perigo que existe na afirmação do Victor? Se nada é a Palavra de Deus, tudo pode ser. Se não há um texto sagrado, os nossos, aqui do blog, podem ser. Um texto escrito por mim, que fale sobre Jesus – ainda que não tenha qualquer relação com a Bíblia – pode ser usado como sagrado e virar a base de uma pregação.

O Victor Azevedo é um jovem carismático e que sabe envolver as pessoas e atrair sua atenção. Oro pra que Deus o desperte e ele use todo esse potencial para pregar o Cristo real, das Escrituras Sagradas. Sim, o compilado de 66 livros que falam sobre Jesus de Gênesis ao Apocalipse. E que, de fato, Deus seja glorificado através da vida dele.

LIÇÕES DE JOSÉ PARA A VIDA CRISTÃ


O QUE VOCÊ FARIA SE ESTIVESSE NO LUGAR DE JOSÉ?

O SOFRIMENTO E A VITÓRIA

José era o filho caçula e o preferido de Jacó (Gn 37: 3) – profeta de Deus cujo nome foi mudado pelo Senhor para Israel. O ódio dos irmãos de José por ele, aliado ao ciúme e à inveja levaram-nos a tomar uma decisão covarde e abominável: eles mentiram para seu pai dizendo que José havia sido morto por uma fera (Gn 37: 32,33) mas na verdade eles o venderam como escravo para mercadores midianitas (Gn 37:28) e estes o venderam para Potifar, oficial de Faraó.
Pois bem, daí já podemos extrair um lição: José poderia nesse momento de tristeza, decepção e injustiça simplesmente abandonar sua fé em Deus, imaginando que o Senhor o havia desamparado e que de nada serviria ser um servo do Altíssimo, haja visto que um filho de Profeta se tornar escravo era uma grande e inesperada humilhação. Mas não foi isto que aconteceu, José continuou sendo a mesma pessoa, fiel ao seu Senhor (e também ao seu patrão), a ponto de Potifar prosperar graças a mão de Deus sobre José. Potifar inclusive o promoveu como chefe em sua casa, confiando a José autoridade e poder para tomar as decisões que ele quisesse. José tornava-se portanto o segundo homem mais poderoso do Egito (Gn 39: 1-5)

A TENTAÇÃO DE JOSÉ

A única proibição feita por Potifar diz respeito à sua esposa, pediu que José não tivesse olhos para ela, talvez por José ser um rapaz bonito e chamativo (Gn 39:6). Mas como o diabo é astuto, tentou laçar José justamente por aquilo que ele não poderia tocar, a própria esposa de Potifar deu de cima dele (Gn 39: 7). Nesse momento José faz uma declaração de temor e fé que certamente está entre as mais bonitas e verdadeiras da Bíblia:
Porém ele recusou, e disse à mulher do seu senhor: Eis que o meu senhor não sabe do que há em casa comigo, e entregou em minha mão tudo o que tem;
Ninguém há maior do que eu nesta casa, e nenhuma coisa me vedou, senão a ti, porquanto tu és sua mulher; como pois faria eu tamanha maldade, e pecaria contra Deus? Gn 39:8,9
Certamente o assédio da mulher de Potifar foi em um ambiente em que estavam somente os dois, assim, te faço uma pergunta: o que fazemos quando ninguém está no vendo? Ou então: no lugar de José, quantos de nós hoje teríamos a mesma reação que ele teve? Vi nesse episódio um grande exemplo de temor a Deus, de fidelidade aos Seus princípios e de convicção e coragem que deveriam nortear a vida de todo cristão, o que infelizmente hoje é exceção em nosso meio. Com a facilidade do smartphones então, pecar quando ninguém está vendo ficou muito mais fácil, mas ledo engano é pensar que ninguém está vendo.

MAIS UMAVEZ JOSÉ NÃO MURMUROU DIANTE DA INJUSTIÇA

Após ser acusado de tentativa de estupro pela mulher de Potifar (Gn 39: 14,15), José acabou sendo castigado e lançado na prisão, porém lá em vez de lamentar por mais essa injustiça ou murmurar contra Deus ele continuou agindo com temor e amor ao Senhor, exercendo seus dons e confiando na providência divina, se destacando até mesmo no cárcere pois a mão de Deus era com ele. Novamente faço uma pergunta: e se fosse você, continuaria confiando ou nesse momento desistiria de tudo e se entregaria ao desânimo e incredulidade? Passaria a maior parte do seu tempo murmurando e chorando ou simplesmente insistiria em ser um bom servo na cadeia como era no palácio, aguardando o momento em que Deus agiria em seu favor? Na prisão José interpretou os sonhos do copeiro e do padeiro do rei do Egito, após dois anos foi chamado a interpretar os sonhos do Faraó e depois disso ele foi novamente reconhecido como grande homem de Deus e colocado como governador do Egito (GN 40 e 41).
Existem muitas outras lições que aprendemos com a vida de José (como o relacionamento familiar, coração perdoador, etc), o que deixaremos para abordar em outros artigos, hoje destacamos alguns tópicos que mostram bondade do Senhor a favor de José, fruto do seu temor, sinceridade e fidelidade. Muitas vezes nós queremos a vitória, a prosperidade e o livramento, buscamos ver Deus quando ele opera em nosso favor, mas será que eu me lembro dEle quando:
-Deixo de orar
-Deixo de me dedicar ao estudo da Bíblia
-Não trato meu cônjuge e meus filhos como deveria
-Me abstenho de ajudar os outros
-Faço da mentira um hábito
-Julgo e falo mal de outras pessoas
-Peco ocultamente e não busco mudança de postura

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Muitas vezes passamos por situações de derrota simplesmente por que viramos as costas para Deus, tentamos assumir nós mesmos o barco da nossa vida e quando tudo dá errado colocamos a culpa no diabo e voltamos a Deus, pedindo para Ele consertar os nossos erros. Normalmente quando vamos tomar nossas decisões confiamos em nós mesmos, em nossa sabedoria e em nossos braços, mesmo sabendo que teria sido bem melhor colocar tudo sempre em oração, pedindo direção e providência do Senhor, e claro: confiar.
E você, está disposto a entregar sua vida à vontade de Deus, independentes das consequências? Pense nisso.