Fé e obras, o que você tem?

Graça e paz seja da parte de Deus nosso Pai e de Jesus Cristo

Tiago 2:20-23: “Mas, ó homem vão, queres tu saber que a fé sem as obras é morta? Porventura o nosso pai Abraão não foi justificado pelas obras, quando ofereceu sobre o altar o seu filho Isaque? Bem vês que a fé cooperou com as suas obras, e que pelas obras a fé foi aperfeiçoada. E cumpriu-se a Escritura, que diz: E creu Abraão em Deus, e foi-lhe isso imputado como justiça, e foi chamado o amigo de Deus”.

Amados. Dias atrás ouvia uma incessante discussão acerca de missões, testemunho e proclamação do Reino de Deus nesta terra. E ante algumas colocações feitas me senti tão hipócrita como ser humano. Avaliando as expressões de alguns irmãos ali percebi o quanto nós agimos com hipocrisia. Falamos muito, criticamos tudo o que vemos e ouvimos, julgamos as atitudes alheias, mas onde estão as nossas obras? Quais os frutos da nossa fé? A bíblia nos diz que as obras são os frutos, a demonstração de que temos fé. As obras realçam o nosso discurso. Por exemplo, o que testifica a crença no poder regenerador e salvífico no Senhor Jesus é uma vida ilibada, modificada e que visa a sua glória. O que vejo, porém é uma guerra entre pessoas de faixa etária distinta, posições hierárquicas diferentes, e queremos sempre superestimar o lugar onde eu estou. “Posso ser um grande chato durante o culto que não me disponho nem a ficar em pé durante o período de adoração, mas dou minhas ofertas e ajudo os pobres”. “Posso não participar das visitas e evangelismos, mas sou um grande maestro, regente, levita na casa do Senhor”. A fé sem obras é morta amados, assim como as obras sem fé também são apenas filantropia.

Há uma guerra muito grande. Pessoas que durante os cultos parecem verdadeiras estátuas, estão sempre com a cara fechada, braços cruzados, procuram os últimos bancos da igreja e não participam de conjuntos, períodos de louvor nem nenhum trabalho extra que o culto. Mas batem no peito dizendo que ajudam os necessitados, dão testemunho e bla bla bla. Há obras, mas onde se manifesta a fé? Fé como adorador, como relacionamento com o Senhor, se derramar na presença dEle. Outros parecem querer um microfone apenas para si durante os cultos (aos domingos e na santa ceia né, porque durante a semana…). São vívidos, chamam pra adoração, fazem grande barulho dentro do culto. Mas não conte com eles para nada o que não se restrinja àquelas duas horas. Evangelismos, visitas, trabalhos extras nunca podem se encaixar em suas agendas. Onde estão as obras? Infelizmente em nossas igrejas as pessoas encaram certas atividades como chamado de Deus. Ser um regente de conjunto, secretário, tesoureiro, até mesmo líder não tem nada a ver com chamado de Deus. Relaciona-se com a organização local, a igreja e sua administração, organograma. E muitos por considerar isto um grande encargo não querem fazer mais nada. Vivemos num conto de fadas onde a fé não está relacionada com as obras. As obras são muitas vezes simples satisfação de ego. E a fé apenas demonstração de emoção.

A fé verdadeira deixa marcas como a de Abraão. Uma fé que produz obras que testificam algum sacrifício. Sacrifício do ego, da vontade, da carne… E isto é imputado como justiça…

Leandro Bizaio

Soli Deo Gloria!

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.