Os Cristãos e o filme Noé

 

Noé

Por Thiago Schadeck

 

Nos últimos dias os cristãos tem invadido as salas de cinema para assistir o badalado e comentado filme “Noé”. Como os produtores previam, o filme fez muito sucesso e está em destaque absoluto nas redes sociais. Isso se deve ao fato de muitos crentes terem ido ao cinema esperando uma ilustração fiel do que a Bíblia descreve como o fim do mundo, mas ao assistir o filme perceberam que os autores não tiveram qualquer fidelidade às Escrituras e pior, chegaram a beirar a blasfêmia.
Concordo que os cristãos que se sentiram lesados com a história cinematográfica devem, sim, emitir suas opiniões e reclamar, afinal ir ao cinema está muito caro hoje em dia.

O problema começa quando exigimos uma fidelidade bíblica e coerência teológica inconcebível para Hollywood e não temos a mesma atitude com as pregações que assistimos e músicas que ouvimos. Quantas vezes assistimos a uma pregação de uma hora e sequer abrimos a Bíblia, seja por preguiça ou porque o pregador decidiu não utilizá-la?

Abaixo, vou listar algumas frases, que dão título à pregações e em seguida “louvores” que cantamos pensando que estamos agradando a Deus:

“Quem tem promessa de Deus não morre”
Sinceramente, eu gostaria muito de saber quem inventou essa bobagem. Com certeza quem começou com isso nunca leu a Bíblia toda e em especial o capítulo 11 de Hebreus, conhecido como “a galeria dos heróis da fé”. Acho muito difícil que algum cristão nunca tenha lido esse capítulo, pois é um dos mais conhecidos da Bíblia. De qualquer forma, vamos à refutação:

Todos estes morreram na fé, sem terem recebido as promessas; mas vendo-as de longe, e crendo-as e abraçando-as, confessaram que eram estrangeiros e peregrinos na terra. (Hebreus 11:13)

Claro que vai surgir a pergunta: Mas Hebreus 11 fala de pessoas que alcançaram as promessas! Sim, muitos alcançaram o que lhes havia sido prometido, mas isso não significa que todos os que receberam qualquer promessa ficaram vivos para recebê-las.

“Os sonhos de Deus… ”
Essa frase pode se enquadrar tanto em pregações como em músicas. Não sei quem começou com isso, mas uma coisa é fato, essa frase fere um dos maiores atributos de Deus, a sua Soberania! Deus não fica sonhando e torcendo pra que tudo dê certo no final, pois ele sonhou mas não tem qualquer poder para realizá-los.
Isso é um dos pontos do Teismo Aberto ou Teologia Liberal, que defende que Deus não conhece o futuro, que não pode fazer qualquer intervenção, porque criou a terra e o ser humano e os deixou abandonados à sua própria sorte para, quem sabe, se encontrar com ele no final de tudo.

Se lermos o livro de Jó, completo e não apenas os quatro primeiros e o último capítulos, veremos que nas coisas boas e ruins Deus estava no controle e ajudando Jó a perseverar, ele não estava alheio ao sofrimento do seu servo. Vamos ver o que o próprio Jó fala acerca da soberania de Deus:

Bem sei eu que tudo podes, e que nenhum dos teus propósitos pode ser impedido (Jó 42:2)
 

“O melhor de Deus ainda está por vir”
Essa frase tão dita como motivação quando as pessoas estão passando por alguma dificuldade, afronta brutalmente nosso Senhor Jesus. O melhor de Deus já veio e atende pelo nome de Jesus, o Cristo! Enquanto ficamos esperando o “melhor” de Deus, esquecemos de tudo o que Ele já fez por nós e pela salvação através da graça trazido por Cristo.
Além do desprezo ainda há um outro problema nessa frase, ela pode causar um descontentamento eterno, porque sempre ficamos esperando o melhor de Deus e nunca nos conformamos com o que já recebemos, tendo em vista que sempre há algo melhor da parte de Deus para nós!
Essa frase ficaria mais biblicamente correta se fosse: O melhor de Deus já está pra voltar!

Partindo para o lado musical, teremos de resumir, pois é um campo vasto de bobagens e heresias:

“A minha vitória hoje tem sabor de mel”
A vitória do cristão foi conquistada na Cruz do Calvário, quando Cristo derrotou Satanás e nos comprou com seu sangue, trazendo assim a esperança da salvação aos homens. Tenho certeza que para Cristo a Cruz e a vitória dele não tinham sabor de mel. Em seus últimos dias de vida, Jesus foi traído por um de seus discípulos, outros dez o abandonaram quando ele foi crucificado e antes de morrer, o Pai o abandona para morrer sozinho e pagar pelos pecados da humanidade. Acredito que Cristo não sentiu sabor de mel em sua vitória.

Vejamos as palavras do próprio Jesus acerca dos acontecimentos que teria de passar:

E disse-lhes: A minha alma está profundamente triste até a morte; ficai aqui, e vigiai. (Marcos 14:34)
 

“Restitui, quero de volta o que é meu…”
Essa música fez muito sucesso no início dos anos 2000 e até hoje é uma das mais tocadas nas igrejas evangélicas. Eu mesmo comprei o CD e cantei muito, porém se prestarmos atenção na letra veremos que é uma música totalmente egocêntrica e anti-bíblica! Vejamos alguns motivos:

– Nenhum ser humano pode exigir qualquer coisa de Deus. Nós somos os servos e Ele o Senhor. Ele faz o que quer, quando quer e como quer, sem obrigação nenhuma de atender nossas vontades egoístas.

– O que é nosso? Tudo o que temos vem do Senhor. Dele é a terra e a sua plenitude (Salmos 24:1) e porque dele, por Ele e para Ele são todas as coisas (Romanos 11:36). O Senhor, nosso Deus é soberano!

Concluindo, se você exige fidelidade bíblica do filme de Hollywood e gosta desse tipo de pregação ou música, é hora de rever seus conceitos e começar a exigir a mesma fidelidade de si mesmo, buscando conhecer mais o Deus das Escrituras e não o pregado nas igrejas de autoajuda, depois exigir que na sua igreja a Palavra seja pregada em verdade, se baseando somente nas sagradas escrituras e que os louvores exaltem e adorem unicamente a Cristo. Se todos os inconformados com o filme fizerem um pouquinho e mostrar que quer se alimentar de uma palavra pura, sem adicionar modismos ou frases de efeito com certeza teremos uma nova reforma protestante e voltaremos ao Evangelho Puro e Simples de Cristo.

Que Deus te abençoe e que esse texto te faça refletir na sua vida como cristão se tem se apegado a verdade ou ao que te agrada!

 

 

Anúncios

Por que existe a IGREJA?

Tenho certeza que em algum momento de sua vida você já se perguntou: Por que existe a IGREJA?

Quando falo de IGREJA, não falo de instituição ou denominação e sim da IGREJA fundada por Cristo, e “implantada” e vivida pelos doze apóstolos.

Listarei algumas das funções básicas da IGREJA de Cristo a fim de nos fazer refletir se estamos vivendo o Evangelho de Jesus ou o ensino de homens.

Pregar a Palavra do Senhor

E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. (Marcos 16:15)

Todos os cristãos tem essa missão. Jesus não ordenou aos discípulos que criassem grupos de evangelismo e os enviassem a pregar o evangelho, mas que todos deveríamos pregar, e pregar a toda criatura. 

Não podemos pregar apenas aqueles a quem queremos ou apenas aqueles que pensamos que receberão a nossa pregação de braços abertos. Sequer podemos imaginar pregar apenas aos que merecem, pois NINGUÉM é salvo por merecimento e sim pela graça de Deus.

Muitos querem fazer missões na África, nos países muçulmanos, na janela 10:40 e em outros países “necessitados” da Palavra, mas esquecem-se que missões de verdade começa dentro de nossas casas, com nossa família, nossos vizinhos, amigos. Antes de pensarmos em atravessar o mundo para evangelizar temos de pensar em duas coisas: Este é mesmo meu chamado e serei mais útil lá ou aqui?

Anunciar o Reino dos Céus 

E, indo, pregai, dizendo: É chegado o reino dos céus.  (Mateus 10:7)

O Reino de Deus foi instaurado através da vinda de Jesus, conforme Ele mesmo anunciou. Ao contrário do que muitos pensam, o reino de Deus ou dos Céus não é instalado na terra através do “Governo do Justo” ou através de governadores cristãos. O reino de Deus é instaurado através de verdadeiros servos que fazem a diferença nesse mundo tenebroso e que jaz no maligno. Quando ajudamos a uma pessoa necessitada estamos praticando a verdadeira religião, conforme Tiago 1:27. Nós somos o povo de Deus e devemos agir como tal. Amar o nosso próximo como a nós mesmos significa fazer ao próximo aquilo que desejaríamos para nós se estivéssemos na mesma situação.

Fazer discípulos

Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações (Mateus 28:19)

Não custa nada lembrar que não é fazer discípulos para si, mas para Cristo!

Fazer discípulos em todas as nações implica diretamente em deixar nosso preconceito de lado e discipular a qualquer pessoa que esteja interessada em conhecer e viver mais Jesus a cada dia. Não se importando com seu passado e presente, mas ensinando com paciência e temperança para que a própria pessoa possa enxergar seus erros e corrigi-los  à medida em que o Espírito Santo a incomode.

A IGREJA tem o papel de abraçar e não de impor mais peso. Muitas pessoas não se firmam na igreja e consequentemente no Corpo de Cristo por culpa dos líderes que exigem a transformação das pessoas. Nem Deus exige que nós mudemos, Ele apenas nos mostra onde estamos errados e nos deixa a responsabilidade de tomarmos a atitude de mudar. Após essa atitude Ele nos dá a força que necessitamos.

Ajudando aqueles que necessitam

Então, enquanto temos tempo, façamos bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé. (Gálatas 6:10)

Em muitas igrejas o conceito de serviço social foi extinto. Não há ajuda aos necessitados, até porque a pregação é que se você tem necessidade de algo material é porque um demônio está “amarrando” sua vida. Neste caso, na visão dessas igrejas, é necessário um exorcismo e não a ajuda material.

E algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos, e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí? (Tiago 2:16)

Este versículo exemplifica perfeitamente a atitude da igreja moderna, quantas vezes não ouvimos o pregados vociferando: “Eis que assim te diz o Senhor: Hoje acaba a miséria na sua casa e em sua dispensa haverá fartura!”, mas não dão se quer uma refeição para essa pessoa se alimentar e ter forças físicas. É muito simples jogar a responsabilidade de ajudar os necessitados para Deus e lavarmos nossas mãos.

Ser testemunhas de Cristo

E ser-me-eis testemunhas (Atos 1:8)

Ser testemunha de Cristo é fazer tudo como Ele faria. Um grande problema que as igrejas tem enfrentado são líderes que em quase nada imitam a Cristo, mas seguem seus próprios deleites. Pregam uma coisa e vivem outra. Pior é que em vez de fazerem testemunhas de Cristo, estes lideres fazem testemunhas de si mesmos. Quantas vezes já fui xingado por criticar uma atitude anti-bíblica de um líder, mas no comentário o seguidor não cita um versículo apenas que embase a prática do seu pastor/bispo/apóstolo/patriarca

Quando somos testemunhas do Senhor Jesus Cristo temos em mente que a UNICA FONTE DE AUTORIDADE É A BÍBLIA! Nenhuma revelação, testemunho ou novidade pode nos desviar do foco, que é Cristo. Quem é testemunha de Cristo sabe falar dele com autoridade e maturidade, não se abala com as conversas do mundo, mas mostram que tem o fruto do Espírito (Gálatas 5:22).

Peço a Deus que Ele ilumine a sua e a minha mente e se estamos falhando em alguma dessas áreas, que sejamos despertados a mudar e agir de acordo com o que o Senhor espera de nós. Em momento algum me excluo da situação em que a IGREJA do Senhor se encontra, pois sou parte desse corpo.

Acredito que ainda faltaram alguns pontos, que no momento não me vieram a mente. Por isso peço que me ajude e informe nos comentários para quem sabe ter uma segunda parte desse post.

Fique na Paz do Senhor!

Thiago Schadeck

@PregandoVerdade