As dificuldades da vida e a provisão de Deus!


DEUS PROVEDOR JEOVÁ RAFÁ

Em tempos de pandemia e quarentena, muitos irmãos nossos passam por dificuldades e não veem mais esperanças de dias melhores. Porém, servimos a um Deus que prometeu cuidar de nós, que quando encarnou e se fez homem, prometeu estar conosco todos os dias e seu Espirito nos consola e nos ajuda em nossas fraquezas.

Quem não tem um testemunho de uma intervenção divina naquele momento de dificuldade que tenha passado na vida? É fato que servimos a um Deus provedor e que cuida de nós em todo o tempo. Quando falo de provisão divina, não limito apenas ao físico e material, mas a tudo o que nos envolve.

Na Bíblia podemos contatar diversas histórias sobre como Deus agiu quando o seu povo não tinha a menor possibilidade. Os Hebreus no deserto após sair do Egito são um grande exemplo disso. Eles nos dão uma prova de que Deus não nos socorre pelos nossos meritos, mas unicamente pelo seu amor e sua fidelidade. Embora aquele povo fosse ingrato e murmurador, Deus não os desamparou e proveu comida, água, coluna de fogo para aquece-los durante a noite e a núvem durante o dia para que o sol escaldante não os molestasse. Suas roupas e calçados não ficaram pequenos e nem se rasgavam. Apesar de quase ninguém ter entrado na terra prometida, por conta de sua rebelião contra Deus, eles foram supridos de tudo aquilo que necessitavam.

Elias é outro caso em que Deus agiu diretamente por sua provisão. Depois de vencer os profetas de Baal no monte Carmelo, ele foi ameaçado por Jezabel e fugiu para a caverna. Lá ele entrou em depressão e acreditava que seu ministério havia terminado, mas o Senhor ainda tinha planos com Ele. Deus mandava que os corvos o alimentassem, provendo assim mantimento para ele. Mas a provisão de Elias não se limitou apenas ao mantimento ou ao poder para fazer chover fogo do céu e consumir a oferta no altar, foi muito além! Deus deu a ele um parceiro de ministério que foi seu braço direito e sucessor. Eliseu deu forças para Elias seguir em sua caminhada profética.

Muitas vezes Deus não faz chover pão do céu nem tampouco aparecer dinheiro em nossa conta, mas nos envia amigos com quem podemos contar quando a coisa estiver boa ou quando estivermos na pior. Foi assim também com Paulo, que escreve em 1 Tessalonicenses 3:6, dizendo que foi animado pela chegada de Timóteo, seu filho na fé. Em Filipenses 4:12-13, ele escreve que aprendeu a viver bem em toda e qualquer situação, seja com abundância ou em necessidade; bem vestido ou nu; saudável ou doente. Paulo entendeu que Cristo era o seu suprimento diário e que ele podia passar por tudo isso porque o próprio Jesus o fortalecia. Quando o apóstolo dos gentios ora pela terceira vez pedindo a Deus que lhe fosse tirado o espinho da carne (2 Coríntios 12:8-9), o Pai lhe dá a seguinte resposta: “a minha graça te basta, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza”. Deus usava a dor e a fraqueza de Paulo para aperfeiçoá-lo. Não há registros bíblicos de que ele tenha reclamado a falta de algo ao Senhor,isso porque ele entendia que o que tinha já era o suficiente.

Assim como esses homens de Deus, nós também somos supridos diariamente. Apesar de todas as dificuldades que a vida nos impõe, continuamos sendo sustentados pelo Senhor. Desanimar e achar que chegou o fim da linha é normal, somos seres humanos e limitados. Mas servimos a um Deus que pode todas as coisas e faz com que tudo, até mesmo as dificuldades e dias ruins, contribuam para o nosso bem!

Que Deus nos abençoe e encoraje a sermos cada vez mais valentes no enfrentamento das dificuldades, sabendo que O temos como refúgio!

Além do que os olhos podem ver. #Repost


“Antes eu te conhecia só por ouvir falar, mas agora meus olhos te veem” (Jó 42:5 – NTLH)

Por Odilar Júnior

Eliseu e os carros de fogoA situação do Brasil não está fácil. Em 2016, vimos uma crise político-econômica e suas desastrosas consequências: encolhimento da economia, fechamento de empresas, desemprego, etc. Há muitos motivos que causam temor e se perguntar como viveremos de agora em diante.
E assim, também ouvimos muito, que é preciso confiar em Deus, que Ele está no controle. “Mas como Ele está no controle, se o mundo está praticamente desabando sobre nossas cabeças? Que tipo de controle é este?” – poderiam pensar. Quem pensa assim, lhe falta uma visão apropriada; só enxerga apenas o (s) problema (s). Precisam enxergar além do que seus olhos podem ver. Não compreendem que tudo isto não passa de “ação e reação”.
Por mais que o mundo esteja um caos, Deus continua no controle sim. O ciclo natural continua vigente, mesmo havendo desastres naturais. A vida continua, em meio às doenças, guerras, fome e tudo mais. O universo ainda obedece às leis físicas estabelecidas desde o início. Ainda que por um lado, haja uma disfunção, o todo permanece.
Quando você passa a adotar uma cosmovisão (visão que se tem do mundo) mais clara e correta, sua compreensão se eleva e passa a enxergar melhor, que há um Deus nos céus que rege todo o universo com a sua Palavra e que não será um simples problema humano que abalará seu poder e seu governo. Assim, você passa a entender o que o Jó quis dizer no capítulo 42: 5 (o texto básico citado anteriormente).
Em 2 Reis 6:15-17 conta a história de uma situação crítica e a reação diferente em duas pessoas (Geazi e Eliseu), como suas visões são diferentes uma da outra.
“O servo do homem de Deus levantou-se bem cedo pela manhã e, quando saía, viu que uma tropa com cavalos e carros de guerra havia cercado a cidade.
Então ele exclamou: “Ah, meu senhor! O que faremos? ”
O profeta respondeu: “Não tenha medo. Aqueles que estão conosco são mais numerosos do que eles”.
E Eliseu orou: “Senhor, abre os olhos dele para que veja”.
Então o Senhor abriu os olhos do rapaz, que olhou e viu as colinas cheias de cavalos e carros de fogo ao redor de Eliseu.”
Israel e Síria estavam em guerra. O rei da Síria mandou seu exército capturar o profeta Eliseu, por ter adivinhado seus conselhos e contar ao rei de Israel. Sua vida corria perigo. Ciente disto, Geazi se desesperou. Eliseu não temeu, e ainda o acalmou pedindo ao SENHOR para que Ele mostrasse a real situação: apesar de tudo, Deus estava no controle e protegendo-os. Por fim, a situação foi resolvida de uma forma inusitada e a guerra cessou. (2 Reis 6:18-23). Eliseu confiou em Deus e no seu poder para resolver problemas.
Hoje em dia não é diferente. Não chega a ter um exército sírio querendo a nossa cabeça, mas são aquelas situações do cotidiano que tiram nossa paz. Qual deve ser a nossa postura? A de Geazi – enxergar apenas o problema, se desesperar e entrar em pânico ou a de Eliseu – encarar o problema confiando em Deus e na sua provisão, mesmo que pareça não haver solução?
Que possamos não apenas enxergar o que é aparente, tangível e muitas vezes ilusório e falso, e sim, além disso – o que é real e verdadeiro, porém invisível – o que apenas pode ser visto com os “olhos da fé”. Que possamos encontrar a paz de espírito e enxergar a bonança em meio às violentas ondas nas tempestades de vida, confiando no poder transformador de Jesus Cristo.