Somos a PIOR geração de cristãos da história

Quem já estudou, ainda que superficialmente, a história da igreja, sabe o que nossos irmãos passaram para terem o privilégio de servir a Deus. O livro de Atos ilustra em detalhes o que os primeiros cristãos sofreram para que a Igreja tivesse continuidade.

Vale lembrar que Saulo, antes de sua conversão, era um vil assassino de crentes. Entrava nas casas e arrastava os crentes para a prisão e morte. Era impiedoso e mal, não poupava ninguém, antes incitava que maltratassem os que decidiram servir a Cristo. Ele que segurou as roupas daqueles que apedrejaram Estevão, o primeiro mártir. Quando teve o encontro com Cristo, Saulo estava com cartas nas mãos que o autorizavam a barbarizar os que fossem do “Caminho”. Depois de convertido, as coisas não ficaram melhores para o, agora, Paulo. Ele foi preso por diversas vezes, levou chicotadas, foi apedrejado e teve de se fingir de morto. O perseguidor agora era perseguido e glorificava a Deus por isso!

Os apóstolos foram mortos pelos seus perseguidores e não negaram o nome de Cristo. Quase todos provaram de uma morte violenta e dolorosa (com exceção de João que foi enviado para uma prisão perpétua na Ilha de Patmos), mas consideraram isso um ganho, visto que agora herdaram a Vida. A morte para eles era a ida para a Casa. O reencontro com Cristo, agora glorificado!

A história diz que os apóstolos de Cristo morreram dessa forma: Mateus, esfaqueado;  Tiago, Paulo e Aufeu foram decapitados (cortarem suas cabeças);Pedro foi crucificado de cabeça para baixo;  Felipe e André foram Crucificados; Matias foi  queimado vivo; Tiago (filho de Aufeu) foi apedrejado;  Lucas, o evangelista, foi enforcado; Simão, o Zelote e Judas Tadeu foram esquartejados (cortados em pedaços);  e Tomé foi morto a lanças

Essa é a forma que a história mostra a morte dos cristãos

Agora vamos à nossa geração:

Somos uma geração que tem envergonhado de forma recorrente o Evangelho. No Brasil somos mais de 50 milhões de Evangélicos e isso não representa absolutamente nenhuma mudança no país. Pelo contrário, nossa nação vai de mal a pior!

Uma geração que não crê na Bíblia:

Há quem pense que eu exagero nesse ponto, mas prefiro ir aos fatos. A maior prova de que os cristãos da nossa geração não crêem na Bíblia é que ela tem sido desprezada. A grande maioria dos crentes não tem o hábito de leitura, claro que isso se reflete na sua meditação bíblica. Preferimos caixinhas de promessas à bíblia; culto da vitória com a irmã que revela o RG à escola dominical; louvor à pregação. A Bíblia, que deveria ser, a nossa única regra de e prática foi renegada do meio dos crentes.

Existe crentes que defendam que estudar a bíblia mata a fé, porque a letra mata. Me pergunto como essas pessoas conhecem a Jesus, se não pela palavra de Deus?!

Somos uma geração mimada:

Enquanto há poucas décadas a preocupação dos cristãos era viver uma vida digna do chamado de Cristo e, pela graça de Deus, alcançar os perdidos, demonstrando o amor de Cristo por eles, atualmente queremos mostrar para os perdidos que somos abençoados e que Deus dá carro zero, casa em condomínio fechado e empresas. O conceito de benção agora é quase que unicamente material. Se está passando por dificuldades, sejam quais forem, é porque Deus não está abençoando. A igreja primitiva pensava exatamente o contrário, que as dificuldades aperfeiçoaram a fé e davam a oportunidade de testemunhar a Cristo com seu sangue.

Temos medo da morte!

Ave Maria dos Crentes! Deus me livre de morrer!

Infelizmente esse é o pensamento de muitos crentes. É óbvio que ninguém deve desejar a morte, a não ser que ela seja e meio para estar com Cristo pela eternidade. O problema é que a maioria tem medo de morrer porque sua família ficará desamparada ou porque não tem certeza de sua salvação. Em ambos os casos, isso pode ser resumido como falta de fé!

No primeiro caso, do medo de sua família passar necessidade, o sujeito crê que quem promove o sustento de sua família é ele e não Deus. Se realmente tivesse fé que é Deus quem o sustenta, não se preocuparia com sua falta, porque Deus continua com sua família, mesmo após sua partida.

No caso da incerteza da salvação, a falta de fé no sangue purificador de Cristo e sua graça. Como ensinado em muitas igrejas, o sacrifício de Cristo não foi suficiente e é você quem se salva, por suas boas obras. Alguém que se diz salvo e vive como um ímpio tem fortes indícios de nunca ter sido salvo.

Deixo aqui a indicação de alguns textos já publicados aqui, para que você possa meditar:

É preciso ter mais fé para dizer seja feita a Tua vontade que eu profetizo

A morte do Cristão é a sua ida para a casa

A oração do Pai Nosso da Igreja moderna

O Gospel é Pop

Anúncios

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.