Começou a perseguição religiosa!

AsiabibiPaquistao

Por Thiago Schadeck

Era para ser uma segunda-feira normal, como qualquer outra, as pessoas indo trabalhar, estudar, cumprir seus compromissos depois de terem descansado, ou não, no final de semana, mas na realidade aconteceria algo diferente, o presidente da república sancionou a lei que proíbe qualquer tipo de pregação. Segundo ele, a religião estava sendo usada como um braço político para afrontar o governo.
Além disso, falar sobre santidade, pecado, reino de Deus, justiça social, volta de Cristo e outros assuntos polêmicos colocava o governo em maus lençóis. Como explicar que a Igreja estava fazendo o que ele, o governo, não fazia?
Ao saber dessa notícia, muitos cristãos se desesperaram. O que fazer agora? Vai começar uma perseguição religiosa e com certeza nossa vida ficará muito difícil. Milhares de pastores estavam sendo presos, as redes sociais ferviam com as noticias, pessoas a favor do presidente comemoravam a decisão, os que eram contrários tinham duas alternativas: lutar e correr o risco ou negar sua fé e se manter estável. Obedecer a Deus ou ao governo?
Com o passar do dia, chegavam notícias de todos os lugares do Brasil, dando conta de que crentes haviam sido presos e alguns até mortos. Igrejas foram incendiadas, apedrejadas, invadidas e saqueadas. A polícia estava com ordens explicitas de prender a qualquer pessoa que se declarasse cristã, à começar pelos seus soldados, o que trouxe uma grande baixa à corporação.
Alguns tentaram fugir para países vizinhos e tentar asilo político, mas a fiscalização nas fronteiras aumentou consideravelmente e quase ninguém conseguia passar. Quem tentasse atravessar ao país vizinho teria de passar por um interrogatório com muita pressão psicológica e intimidação que faziam até pessoas confessarem o que nem tinham feito. Estávamos perdidos.
Nesse ínterim, alguns pastores, que ainda não haviam sido presos, se levantaram e passaram a dar forças aos irmãos, exortando-os a se manterem firmes na fé e, se necessário, morrerem por Cristo. Citavam o exemplo dos apóstolos de Jesus, que mesmo sabendo que caminhavam em direção a morte não temeram e cumpriram o propósito de vida que Deus havia lhes planejado. Não podemos fugir da responsabilidade, se Deus escolheu a nossa geração para ser mártir e dar a vida como testemunho de fidelidade à Deus.
Chegava o horário do almoço e as noticias eram cada vez piores. Policiais invadiam casas, empresas, escolas e levavam os cristãos presos. Não havia espaço físico para juntá-los em segurança, então começaram a levá-los à estádios de futebol, que usando arquibancada e campo cabiam umas duzentas mil pessoas. Os pastores que iam sendo presos nesse dia passavam por uma salinha escura que lhes fazia sair com hematomas por todo o corpo, apanhavam mais que lutador de UFC. Se prometessem que incentivariam as pessoas a desistirem da fé seriam soltos, caso contrário assumiriam as consequências de desobedecer ao governo.
Agora era fim de tarde, início de noite, e começaria o que todos temiam: o presidente deu ordem de exterminar todos os cristãos presos. Quase 30 milhões de pessoas perderiam a vida nesse dia, massacre muito maior do que foi o terrível holocausto alemão. Quando os cristãos que estavam presos ficaram sabendo da notícia tiveram as mais variadas reações: uns pediam para falar com os guardas e negar a fé, poupando assim suas vidas; outros começavam a orar e pedir intervenção divina na decisão do governo; outros tentavam achar uma forma de fugir; outros passavam mal e desmaiavam. Fato é que ninguém ficou feliz com a notícia, mas alguns entenderam que era uma honra morrer pela causa de Cristo.
As nove da noite começaram as execuções, para ganhar tempo, os policiais colocavam grupos de cem pessoas no paredão e fuzilavam. Os que estavam na fila faziam cultos e louvavam a Deus, era uma forma de se manterem calmos diante da morte iminente e certa. Assim como os hebreus da fornalha, sabiam que Deus era poderoso para livrá-los da morte se quisesse, mas também sabiam que a vontade de Deus poderia ser deixá-los morrer. Cabia a eles aceitar que, mais que nunca, estavam nas mãos de Deus.
As cinco e meia da manhã, os últimos crentes eram executados, logo só sobraram os que negaram sua fé ou que conseguiram se esconder, que eram bem poucos, e estava nas mãos deles recomeçar a igreja, agora perseguida, evangélica brasileira. E foi exatamente o que aconteceu. Muitos que haviam negado a Cristo reconheceram seu erro e passaram a pregar e fortalecer aos irmãos. Começava assim a igreja que se reunia em segredo nas casas, porões, galpões abandonados e outros lugares acima de qualquer suspeita.
Se Jesus não voltar antes, daqui uns 50 anos saberemos qual o resultado que essa “nova igreja” irá produzir. Saberemos se os frutos foram positivos ou não.

Bom, claro que a história acima não é verdadeira, mas ninguém garante que não possa se tornar real dentro de pouco tempo.

Quero te deixar uma pergunta, responda para você mesmo e avalie como tem vivido:

Se isso realmente fosse verdade, em qual das situações você estaria?

Está sendo produzido um curta-metragem que fala exatamente sobre isso, a perseguição religiosa que bate à nossa porta. Se você quiser conhecer melhor e ajudar nesse projeto, acesse https://www.catarse.me/pt/oito36

Que Deus nos abençoe para, que quando chegar esse tempo difícil, a nossa fé seja fortalecida e possamos honrar a Deus através de nossa vida ou morte

Comentários de Thalles e da mídia sobre a morte de Cristiano Araújo

image

Por Patrícia Patrocinio.

Esta semana os olhos de todo o país se voltaram  para a morte do cantor sertanejo Cristiano Araújo e de sua namorada em um acidente de carro na madrugada do dia 24/06. Até o momento em que fui fazer uma busca por suas canções na internet não tinha a menor ideia de quem se trata,  e descobri que conhecia apenas o refrão de uma música dele “bara bara bara, berê, berê, berê”. Minha intenção não é criticar o estilo ou o falecido, mas diante da super exposição da tragédia através de todos os meios de comunicação – a rede Globo chegou a cancelar a Sessão da Tarde para cobrir a morte do cantor – queria refletir um pouco sobre o oportunismo fúnebre que tem se tornado tão presente no nosso cotidiano.
Ontem recebi em um grupo de jiu-jitsu do qual faço parte, fotos que imagino serem dos corpos do casal e um vídeo. Como meu whatsapp não faz download automático, eu preferi excluir sem ver, logo fiquei sabendo que o tal vídeo era a preparação do corpo do cantor para o velório. Como é possível que um profissional tenha se aproveitado do momento de dor dessas famílias, para a sua promoção pessoal, como quem diz “olha quem está na minha maca sendo maquiado”? A vontade de ter seus 15 minutos de fama, tem exposto o pior lado dos homens, mostrando seu narcisismo,  falta de caráter e total falta de empatia com a dor do outro.
E nesta onda de aproveitar a dor alheia para auto promoção não se enquadram somente anônimos  e seus smartphones prontos a fotografar e filmar qualquer coisa que possa dar ibope, alguns “famosos” também não poderiam deixar de nos brindar com suas opiniões, mesmo que completamente sem noção e conhecimento de causa sobre o ocorrido, ou
E como não poderia deixar de ser, nosso velho conhecido Thalles Roberto quis mostrar o quanto estava consternado com a tragédia. O vídeo, de caráter completamente oportunista já começa com a frase “Pessoal do Face, pensem numa pessoa que está triste, chateada… Pensem numa pessoa… meu dia acabou..” Sinceramente, na hora que eu ouvi isso pensei: poxa, esse cara devia ser amigo de longa data do Cristiano, mas logo depois vem falando que não conhece e nunca tinha ouvido falar do trabalho dele! “Patrícia, qual o problema dele estar triste? Você acha errado ele se identificar com a dor da família? O que tem de errado nisso”. Eu te respondo: Nada, mas existe uma grande e ao mesmo tempo sutil diferença entre “chorar com os que choram” (Romanos 12:15) e forçar a barra para que outros acreditem no seu discurso mal elaborado, forçado e vazio.
É notório que durante todo o vídeo o nosso querido companheiro que “dá a vida pelas pessoas” e que “luta contra (!!!) o sistema religioso vigente” fica forçando uma lágrima que nunca aparece. Ele  tenta fazer cara de pobre coitado, sofrido, magoado  mas não convence. Outro momento que da margem a questionamentos é quando Thalles diz que já orou pela família de Cristiano, mas que quer orar novamente. Poxa, se quer orar, vai lá e faz, qual a necessidade de ficar falando sobre isso? Eu poderia  apresentar outros questionamentos que podem ser levantados ao assistir o vídeo, mas para finalizar quero usar um aspecto que segundo a psicologia da linguagem corporal, podem ser alguns dos sinais de mentira  parte do seu interlocutor: mão na boca ao falar, toque no nariz, coçar o pescoço… Só  de toques no nariz durante sua fala sobre o cantor, eu contei 4… Não sou eu quem diz isso, é  psicologia. Ou seja, não da pra te defender Thalles, qualquer pessoa com o minimo de senso critico consegue perceber sua atuação, péssima diga-se de passagem. Infelizmente você só é mais um aproveitador mesquinho usando a dor alheia e o nome de Deus para se promover.

ASSISTA AQUI AO VÍDEO DO THALLES
https://youtu.be/Pig1Pf0OhrE

——————————————————-
NOTA DO EDITOR.

Creio que o texto tenha sido muito nitido e lúcido, mas julgo necessário apenas colocar uma opinião minha.

Lamento muito ver o Thalles gravando um vídeo desses, porque, pra variar, ele fala um monte de bobagens. Se colocou como lider de milhares de pessoas e disse que dá a vida por pessoas. Sendo assim, lanço o convite de que ele venha fazer um show na cominidade de Heliópolis, em São Paulo. A entrada pode ser alimentos não perecíveis e montamos cestas básicas a pessoas carentes.

Ele também disse que não conhecia o rapaz e nem seu trabalho. Claro que ele tem o direito de refletir numa morte dessa e se entristecer, mas dai a forçar um choro e falar como se tivesse perdido um amigo, é demais pra minha cabeça. Se ele realmente entendeu a brevidade da vida e como a morte pode ser repentina, ele mostrará isso em atitudes. Aguardemos e vejamos os frutos que essa história dará.

Para finalizar: há um ano digo e reafirmo como forma de registro, em mais dois ou três anos veremos o Thalles fazendo shows totalmente seculares sem sequer tocar no assunto sobre Deus. É só a fonte financeira do gospel secar.

Publicado do WordPress para Android

O amor de muitos se esfriará

image

Por Thiago Schadeck

Como Jesus havia profetizado há dois mil anos, o amor de muitos tem se esfriado (Mateus 24:12). Mas o pior de tudo nessa história é que o amor dos que se dizem cristãos está esfriando, pessoas que deveriam ser o exemplo de amor, tem se tornado exemplo de indiferença. Sem qualquer sentimento pela dor do próximo, sem nenhum remorso em compartilhar ofensas à outras pessoas.
Ainda não consigo entender como alguns que se dizem cristãos pensarem que bandido bom é bandido morto. Por essa pseudo – justiça nós também deveríamos ser condenados, afinal não fomos nós que pagamos pelos nossos pecados e sim Cristo, na cruz do Calvário.
Não entra em minha cabeça os cristãos defendendo o aborto, mas esses eu até sei por que tem tal posição, eles não lêem a Bíblia. Se lessem saberiam que quando Maria, mãe de Jesus, foi visitar sua prima Isabel, os bebês se mexeram dentro de seus úteros. A vida não começa no nascimento e sim na concepção. Entendamos isso como Ana, mãe do profeta Samuel, cantou em 1 Samuel 2: “O Senhor que faz nascer e faz descer à sepultura”.
Não entendo como os tais cristãos compartilham, sem qualquer peso na consciência, vídeos de polícia matando bandido, de acidentes terriveis e, como aconteceu ontem, supostas fotos e vídeos do resgate do cantor Cristiano Araújo, que infelizmente faleceu.
Crentes que conseguem filmar em seus celulares as piores tragédias sem tremer. Filmam suicídios e espalham rapidamente pelas redes sociais, sem se preocupar com a família dessas pessoas.
Cristãos que não se informam se a noticia que estão compartilhando em seu Facebook é, de fato, verdadeira e fazem um linchamento moral, acabando com a reputação da pessoa.

É,  parece que o amor das pessoas do mundo já esfriou há tempos e o da igreja toma o mesmo rumo destruidor.
Creio que isso aconteça por culpa nossa, de nossa liderança que prefere nos trazer mensagens de autoajuda em vez do alimento sólido, que perde horas com revistinhas que ensinam a visão da igreja e mal ensinam a Bíblia. Que nos induzem a cultos com três horas de louvor e quinze minutos, quando muito, de pregação  (com direito a contar uma historinha no meio).

Talvez seja a hora de voltarmos aos pilares da Reforma: Sola Gratia, Sola Scriptura, Sola Fide, Solo Christus, Soli Deo Gloria.

Resumindo: Apenas pela Graça de Deus temos a revelação da Palavra de Deus através das Escrituras que nos desperta a verdadeira e que nos trás a consciência que somente em Cristo alcançamos a salvação para a Glória exclusiva de Deus.

Vivamos de o amor verdadeiro e que Cristo seja visto através de nossas atitudes. Que através dos cristãos as pessoas tenham desejo em saber quem é esse Deus que nós servimos.

Publicado do WordPress para Android

Nova estratégia de Satanás

A paz do Senhor

“Nova estratégia de Satanás para destruir…”

Com certeza você já ouviu essa frase ou recebeu e-mail, WhatsApp ou qualquer outra forma de comunicação. Se sim, leia esse texto.

Existe uma gama enorme de livros e pregações que falam das estratégias de Satanás, de como ele tem agido para destruir as pessoas de bem, a família e a igreja. Livros esses vendidos aos milhares, dando nome, forma e local de atuação e o processo de como vencer os demônios. Os adeptos da teologia da batalha espiritual passam anos estudando esses demônios, suas pregações e seminários passam a maior parte do tempo falando sobre demônios e traçando estratégias para expulsá-lo de perto de nós.

E quando o testemunho é de um ex macumbeiro? E se ele fosse um ex bruxo? O maior do Brasil  (tem uns 4 reivindicando esse título), trabalhou pra Globo e para autoridades? E se ele fez o pacto da Xuxa? Nossas igrejas se abarrotam e pagamos até ingresso, se precisar, para vermos esse maravilhoso testemunho.
Mas e se isso que ele diz ter feito for mentira? Não importa, o importante é que o testemunho é maravilhoso!

Infelizmente a maioria de nossas igrejas as pessoas estão mais interessadas em como o Diabo age que em conhecer melhor o Deus a quem servem. Preferem ouvir um testemunho cheio de mentiras a ouvir o irmãozinho que nasceu na igreja e nunca se desviou. Preste atenção nas pregações que mais te atraem, são as que o pregador fica o tempo todo tentando mostrar o poder de Deus, fala toda hora no Diabo e invoca demônios ou aquela pregação que é ensinado o que a passagem biblica quer dizer, que traz conhecimento e nos  faz compreender melhor a Bíblia?
Vejo que hoje a maioria dos crentes não sabe explicar quatro histórias da Bíblia, não conseguem defender sua fé diante do mundo sem colocar a culpa em terceiros (principalmente o diabo)

Claro que o Diabo está ao nosso derredor, bradando como um leão (1 Pedro 5:9), sei também que a vontade dele é nos levar para o pecado, assim como fez com Adão e Eva (Gênesis 3), sei que ele mantém pessoas cativas a si pelo pecado. Há dois grandes erros na igreja evangélica atual: menosprezar ou super valorizar o diabo. Ou dão bicuda na cara dele ou tem medo até de pronunciar seu nome.

Mas nós que fomos alcançados pela graça de Cristo, que fomos lavados por seu sangue não temos que temer. Estamos guardados em Cristo e, como na história de Jó, o diabo só pode tocar em nós se Deus permitir. Ele não tem qualquer autonomia se essa não for consentida pelo Todo Poderoso.

Portanto, não fique preocupado se o diabo está trabalhando para destruir o que quer que seja, ele só vai conseguir se Deus permitir. E se Deus permitir, quem somos nós para ir contra a vontade do Todo Poderoso?

Que Deus te abençoe.

Publicado do WordPress para Android

RECEITA PARA SE TORNAR UM APÓSTOLO DE SUCESSO

image

Por Thiago Schadeck

– Alugue um galpão em um lugar de fácil acesso. De preferência ao lado de uma estação de metrô ou terminal de ônibus.

– Alugue espaços na TV e Rádio. Não se importe com o preço, você vai conseguir pagar com a ajuda dos frequentadores. Mas tem que seguir as demais dicas.

– Nesses programas, misture um pouco de Bíblia, de preferência Antigo Testamento, com coisas misticas como: rosas, água ungida, sal grosso, martelos e etc. não tenha limites para sua imaginação, o povo gosta de novidades.

– Lance campanhas financeiras, use versículos isolados, seja convincente. As pessoas não costumam conferir se a Bíblia está sendo usada corretamente.

– Passe, pelo menos, 80% do programa com pessoas dando testemunho de como enriqueceram ou foram curadas através dessa igreja abençoada.

– Seja insistente em frisar que você é  homem de Deus, ungido do Senhor, que essa igreja veio do coração de Deus, que quem não concorda  com você está indo diretamente contra Deus. Se for necessário, amaldiçoe seus acusadores. Não importa se eles tem razão, ganha quem grita mais alto.

– Convoque pessoas a trazer algo que simbolize o sofrimento delas, porque você, como o ungido de Deus é o único que tem autoridade espititual para lutar por elas. Deixe-as dependentes de você.

– Apele sempre que necessário, chorando, gritando ou de qualquer outra forma que conseguir, dizendo que o programa sairá do ar se não conseguir pagar o horário. Pergunte: “Você vai mesmo deixar esse programa, que nasceu no coração de Deus saia do ar?”. Jogue o problema nas costas do povo, eles te colocaram lá.

– Junte todos os pastores de sua igreja, e se conseguir o apoio de mais alguns, melhor ainda, e peça que eles reconheçam sua autoridade e paternidade espiritual, te ungindo apóstolo.

Pronto, agora você pode sair por ai espalhando SUA mensagem e expandindo SUA igreja. Apenas reflita se vale mesmo a pena ganhar tudo isso e perder sua alma no último dia.

Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então lhes direi claramente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade. (Mateus 7:22-23)

Dicas para o dia dos namorados: Casados, Namorados e Solteiros

image

Por Thiago Schadeck

A paz do Senhor!

Está chegando mais um 12 de junho, ou seja, o dia dos namorados. Se você, chinelo velho, já encontrou seu pé cansado,  provavelmente irá comemorar essa data.
Gostaria aqui de dar algumas ideias de como comemorar esse dia e demonstrar o seu amor por essa pessoa tão especial que está ao seu lado. Podemos fazer coisas simples, que gastem pouco e marquem a história do casal.

Quero abordar as 3 possíveis situações: Namorados, Casados e Solteiros.

Namorados:
Que tal surpreender o(a) namorado(a) com algo legal. Há quanto tempo vocês não conversam sobre o namoro e relembram tudo de bom que já passaram juntos?
Que tal escrever uma carta relembrando, talvez com fotos, os melhores momentos do namoro de vocês. São as coisas simples, mas que nos emocionam que marcam nossas vidas.
Vale lembrar que, se você não é tão bom no português, peça ajuda a alguém que seja. Não é legal dar bola fora nessas horas.
Se você é o namorado, junto com a carta você pode dar uma flor e uma caixa de bombom, se estiver com a grana curta. Ou se puder desembolsar um valor legal, caprichar naquele presente que ela tanto quer.
Se você for a namorada, pode fazer algo legal também. Junto com a carta você pode dar um porta retrato com uma foto que resuma o namoro. Mulheres tem dom para enfeitar as coisas, então use toda a sua criatividade e inove na decoração do presente.

Casados:
Quem disse que depois do casamento não é mais namorado? Isso é uma grande bobagem. Depois do casamento é que o namoro fica bom, mas muitas vezes monótono. Nada como um dia dos namorados para reacender a chama da paixão entre o casal.
Se tiver filhos, a coisa pode ser um pouco mais complicada, então pode se adotar uma das três práticas: Mandar dormir na vovó, esperá-los pegar no sono ou deixar para comemorar no outro dia.
Fato é que a correria do dia-a-dia e nossos compromissos nem sempre nos deixam desfrutar do casamento como deveriamos.
Que tal cozinhar para seu amor? Ou cozinharem juntos? É a oportunidade surpreender ou passar mais tempo com seu marido/esposa. Não precisa ser nada muito sofisticado, apenas alguma coisa que os dois gostem. Na mesa, pode-se colocar uma vela para dar um ar mais romântico e beber um bom vinho, se o casal não vir problemas, ou um suco de uva integral (aquele da garrafa de vidro).
Depois do jantar, o marido pode fazer uma declaração de amor para a esposa, olhando em seus olhos, lembrando-a de seu amor e cuidado. E pra finalizar a noite, bora pro quarto… dormir! Hahahaha

Solteiros:
Se você está solteiro, muita calma! Vale aquele ditado: antes só que mal acompanhado.
Não sou a favor daquele pensamento de Eu Escolhi Esperar, pois acredito que devemos tomar atitudes e correr atrás do que queremos. Isso não significa sair pegando geral, mas se mexer e mostrar a outra pessoa esse interesse.
Talvez no ano que vem você possa aplicar essas dicas à sua vida amorosa.

Que Deus abençoe os namoros e casamentos. Que também prepare um par abençoado aos solteiros.

Eu te amaldiçoo em nome de “jesus”

Por Thiago Schadeck

A paz do Senhor!

Como temos visto pessoas sendo amaldiçoadas supostamente em nome de Jesus, por líderes que acreditam ter esse poder.
Há um tempo, Malafaia chamou àqueles que criticam sua teologia da prosperidade de filhos do Diabo e os amaldiçoou sem qualquer problema. Recentemente foi a vez de Agenor Duque pedir para Deus colocar na balança ele e seus acusadores (caberia uma piada de mau gosto, mas vou me abster) e hoje Thalles Roberto pede juizo de Deus e fogo sob a Parada Gay. Isso porque fizeram uma sátira da morte de Cristo com um transexual crucificado.
Não concordo com a atitude da militância gay, mas também não concordo com essa mania de amaldiçoar a todos que discordam de mim. Pior ainda, quando a critica tem fundamento. Malafaia foi criticado por estuprar financeiramente as pessoas, supostamente por uma revelação divina. Agenor Duque é criticado pelos mesmos motivos do Malafaia e com o plus de ter mais macumba que evangelho em seus “cultos”. Pasmem, mas os gays só passaram a ofender os evangélicos depois que começaram a ser atacados em programas de televisão gospel  (olha o Malafaia ai de novo, gente!!!) e pregado o ódio contra eles.
Mas como o ponto aqui não é o ataque que os líderes sofrem e sim a sua reação a esses ataques, fica cada vez mais claro que esses homens não tem em si o caráter de Cristo e nem o fruto do Espírito  (pelos frutos os conhecerão), principalmente o do domínio próprio.
A nossa geração não sabe responder com mansidão o motivo de nossa esperança   (1 Pedro 3:15). Queremos que a ira de Deus consuma nossos inimigos e que vejam Deus nos exaltar. Só esquecemos que se a ira de Deus fosse derramada sobre os pecadores, seriamos fulminados também porque todos temos pecados (1 João 1:8). Precisamos mostrar quão grande é o poder do nosso Deus, que cura câncer, AIDS, ressucita mortos, mas que parece não resolver problemas de caráter. Queremos que Deus mande fogo nos profetas de Baal como fez com Elias, mas não queremos colocar o dedo na cara de Jesabel e corrigí-la de seus pecados. Queremos profetizar, mas não queremos ser como João Batista que perdeu a cabeça por pregar o Evangelho, ou como Estêvão que morreu por ter coragem de enfrentar os religiosos e seu ódio  (nada muito diferente de hoje).
Quando Jesus manda amar ao próximo, ele não se referia aos crentes, pois esses são nossos irmãos. O nosso próximo são aques que ainda não conhecem ao nosso Deus.
Jesus, quando esteve aqui na terra sofreu as piores afrontas que alguém poderia sofrer, inclusiver como agressão física, moral e sua morte. O apóstolo Paulo vivia mais preso que livre por pregar o Evangelho, apanhou, foi traído e humilhado, mas não amaldiçoou seus perseguidores. Exceto João,  todos os apóstolos foram mortos e nenhum amaldiçoou seus assassinos.
Mas nós somos diferentes, somos a geração gospel, que se acha a última bolacha do pacote e que Deus é obrigado a nos obedecer e exterminar a qualquer um que se puser em nosso caminho. Esquecemos apenas que Deus é soberano e nada foge ao seu controle. O Diabo só age até onde Deus permitir, vide a história de Jó.
Que aprendamos com o Mestrea apanhar em uma face e dar a outra. A nos humilharmos e reconhecermos que ainda temos ódio, mágoas e incertezas em nossos corações.

Que Deus nos abençoe e haja em nós um espírito pacificador.